ESPAÇO

Brasil e China comemoram 30 anos de parceria espacial

A parceria Brasil-China firmada em 1988 já desenvolveu seis satélites

Os 30 anos de parceria entre Brasil-China na área de satélites de sensoriamento remoto foram comemorados por autoridades brasileiras e chinesas, profissionais e especialistas da área espacial, além de empresas que contribuíram para o desenvolvimento dos satélites do Programa Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres (CBERS), e também para o desenvolvimento socioeconômico do Brasil.

A parceria Brasil-China firmada em 1988 já desenvolveu seis satélites, cinco deles já lançados, os CBERS-1, CBERS-2, CBERS-2B, CBERS-3 e CBERS-4. O CBERS-4A encontra-se na fase de integração e teste no Laboratório do INPE, com previsão de lançamento para 2019.

A comemoração aconteceu na última sexta-feira (31 de ago07sto), no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), em São José dos Campos (SP). Durante a solenidade, a Agência Espacial Brasileira (AEB) homenageou personagens e empresas que foram imprescindíveis para essa bem-sucedida parceria, que acumula 30 anos de experiência, e tornou-se exemplo de sucesso para o mundo.

Foram homenageadas a AEL, Akaer, AMS Kepler, Beta Telecom, Cenic, Fibraforte, K2FS Sistemas, Gisplan Tecnologia, Neuron Engenharia, Omnisys Engenharia, Opto Tecnologia Opotrônica, Orbital Engenharia e Viasar Processamento de Dados. Também foram homenageadas a Fundação Padre Leonel Franca e a Fundação de Ciência, Aplicações e Tecnologias Espaciais (FUNCATE).

“Com persistência, a parceria tornou-se mais do que uma parceria técnica, tornamos amigos de verdade, compartilhamos experiências valiosas”, afirmou o presidente da AEB, José Raimundo Braga Coelho. “Estamos confiantes que encontramos um parceiro confiável. Sinto que temos uma missão: fazer o programa CBERS durar mais 30 anos”, completou.

A parceria entre os dois países também foi elogiada pelo embaixador da China, no Brasil, Li Jinzhang, que ressaltou as dificuldades superadas pela distância e pelas diferenças culturais. O vice-diretor da Corporação de Ciência e Tecnologia Aeroespacial da China (CASC), Wang Haibo, o diretor-geral da Administração Nacional Espacial da China (CNSA), Li Guoping e o presidente do INPE, Ricardo Galvão, ressaltaram os benefícios trazidos ao Brasil pela parceria.

As delegações chinesa e brasileira discutiram o Plano Decenal Sino-Brasileiro de Cooperação Espacial, lançado em 2013 pelos governos do Brasil e China, que atribuiu à AEB e à CNSA, a função de implementá-lo. O Plano contempla sete áreas de cooperação: tecnologia espacial, aplicações espaciais, ciências espaciais, serviços de lançamento, suporte em rastreio e controle, equipamentos espaciais e, treinamento de pessoal.

Na primeira área, a de tecnologia espacial, encontra-se o Programa CBERS, que a ela foi incorporado tendo como meta inicial o desenvolvimento do satélite CBERS-4A. Segundo informações do Diretor de Política Espacial e Investimento Estratégico da AEB, Petrônio Noronha, na reunião foram discutidos tópicos da cooperação Brasil-China, com maior ênfase nas propostas de desenvolvimento dos satélites CBERS-5 e CBERS-6, continuidade dos satélites ópticos e projeto de um satélite radar, além de pesquisa espacial junto ao INPE, na área de clima espacial.

A continuidade, na forma do projeto dos satélites CBERS-5 e 6, deverá ampliar o horizonte de cooperação entre a China e o Brasil, trazendo benefícios ainda maiores para a comunidade usuária de dados de sensoriamento remoto.

VI ENCONTRO DA CULTURA AEROESPACIAL

VI ENCONTRO DA CULTURA AEROESPACIAL

SAAB

SAAB

Últimas notícias

Parceiro

Fórum ASAS

Carrinho