AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

SAAB apresenta fábrica de estruturas do Gripen NG no Brasil

Mockup do Gripen NG exposto na SAM. Foto: Thiago Vinholes

A Saab apresentou no último dia 9 de maio as instalações da fábrica onde serão produzidas aeroestruturas do caça Gripen NG: a Saab Aeronáutica Montagens (SAM), localizada em uma área de 5 mil m² na cidade de São Bernardo do Campo (SP). A principio, a unidade na região metropolitana de São Paulo será responsável pela produção de segmentos para as novas aeronaves de combate adquiridas pela Força Aérea Brasileira (FAB).

“Este é o início da instalação da fábrica. Já estamos implementando o escritório, contratando pessoas e fornecedores. Até 2020 toda a estrutura fabril estará montada para dar início a fabricação dos componentes do Gripen”, explicou Marcelo Lima, diretor-geral da SAM.

A SAM vai produzir um total de seis componentes estruturais diferentes para o Gripen. São eles as fuselagens dianteiras para o caça nas versões monoposto e biposto, fuselagem traseira, caixão das asas, cone de cauda e os freios aerodinâmicos. Segundo Lima, as atividades na fábrica serão iniciadas com 55 funcionários, entre engenheiros e técnicos, que serão treinados pela própria Saab na Suécia.

“Os novos empregos gerados na fábrica serão altamente qualificados para executar processos em estruturas complexas de fuselagem, tanto metálicas quanto em compósitos, impulsionando o nosso programa de transferência de tecnologia. Ao final desse projeto, teremos somado mais de 84 mil horas de treinamento apenas para os funcionários da SAM”, acrecentou o diretor-geral da fábrica.

Até 2024, a unidade da Saab em São Bernardo do Campo contará com cerca de 200 funcionários produzindo as estruturas que serão fornecidas para a montagem final dos caças fabricados no Brasil, que serão finalizados pela Embraer na fábrica em Gavião Peixoto (SP).

Segundo a Saab, a FAB vai receber 36 caças a partir de 2019 e até 2024, entre modelos fabricados na Suécia e no Brasil – o primeiro Gripen fabricado em solo brasileiro está programado para ser entregue em 2022.

“Vamos cumprir o prazo de entrega que prometemos. Sabemos que isso é muito importante para o Brasil e também para a Suécia”, declarou Jonas Hjelm, vice-presidente senior da divisão aeronática da Saab. Outro cliente do Gripen NG (também chamado pela Saab de Gripen E) é a força aérea da Suécia, que encomendou 60 caças da nova geração.

Por que São Bernardo do Campo?

A fábrica de componentes do Gripen NG em São Bernardo do Campo fica a cerca de 400 km de distância de Gavião Peixoto, onde as aeronaves serão finalizadas. De acordo com o diretor da SAM, a escolha pelo munípio na região metropolitana de São Paulo se deu por conta de sua proximidade do porto de Santos e também do Aeroporto Internacional de Guarulhos, além de estar próxima de importantes rodovias e do polo aeronáutico de São José dos Campos.

“Nossa decisão de estabelecer a fábrica em São Bernardo é baseada em aspectos de negócios que levam em conta nossas necessidades e o que a cidade pode oferecer ao projeto Gripen”, disse Lima. Além disso, o diretor da SAM destacou que a cidade conta com uma importante força de trabalho devido à indústria automotiva já estabelecida na região.

A Saab, “por questões estratégicas”, não divulgou qual será o valor investido na planta em São Bernardo do Campo.

Objetivo da SAM vai além dos caças da FAB

Além de trabalhar para concretizar as entregas dos 36 caças para a FAB previstos no contrato avaliado em US$ 5,4 bilhões, a nova planta da Saab em São Bernardo também almeja mais oportunidades.

A fabricante sueca estima que pode comercializar entre 300 e 450 caças Gripen nos próximos 20 anos e para isso a nova unidade no Brasil pode ser fundamental. “A nossa intenção é construir muito mais do que os 36 caças encomendados pela FAB. A América Latina é um importante mercado para a Saab e os brasileiros têm mais conhecimento sobre essa região do que nós”, disse o vice-presidente da divisão aeronáutica da Saab.

O diretor da empresa sueca ainda citou como exemplo a possibilidade de vender o Gripen produzido no Brasil para as forças aéreas da Colômbia e Equador, dois países que em breve devem ir ao mercado em busca de novos caças. A SAM também poderá fornecer componentes aeroestruturais para a unidade da Saab na Suécia.

Parceria com a Akaer

A estrutura financeira da fábrica em São Bernardo do Campo será composta por um sócio majoritário, a Saab AB, com 90% de participação, e um parceiro minoritário com 10%, a Akaer, empresa de engenharia baseada em São José dos Campos (SP) e especilizada no desenvolvimento de aeroestruturas.

A Akaer é parceira da Saab no desenvolvimento do novo Gripen desde 2009, quando foi contratada para desenvolver o projeto de segmentos da fuselagem do caça.

Durante o lançamento da fábrica da SAM, a Saab também anunciou um aumento de sua participação na Akaer, passando de 25% para 28% em uma operação de troca de ações.

“A parceria com a Akaer começou mesmo antes da seleção da Saab pela FAB. Desde 2009 a Akaer já trabalhou mais de meio milhão de horas para o programa Gripen. O trabalho começou com o desenvolvimento de partes estruturais e engenharia, e agora passa a atuar também na área de manufatura”, disse Mikael  Franzén, chefe da Saab Aeronáutica responsável pela unidade de negócios Gripen Brasil.

Texto e fotos: Thiago Vinholes

SAAB

SAAB

Últimas notícias

Parceiro

Fórum ASAS

Carrinho