ARTE, CULTURA & LAZER

Pronto para ver a sequência de Top Gun?

Quantas pessoas passaram a amar aviões de combate por causa desse filme?

Pode marcar na agenda: 12 de julho de 2019. É essa a data da estreia da sequência do sucesso “Top Gun”, filme que fez gerações inteiras se apaixonarem pela aviação de caça.

A Paramount Pictures confirmou a data de estreia, mas ainda não há muitos detalhes de como será a história de “Top Gun: Maverick”, que será lançado 33 anos depois do seu antecessor.

As filmagens começaram no último dia 31 de maio, conforme revelou o próprio astro Tom Cruise em uma publicação em mídias sociais que provocou grande curiosidade sobre o filme. E, para quem tem um olho mais cuidadoso para a aviação, a imagem divulgada também confirmou que os caças F-14 Tomcat foram substituídas pelos novos F-18 Super Hornet.

Todo mundo viu o Tom Cruise. Quem gosta de aviação notou logo foi o F-18!

O roteiro, aliás, deve envolver o filho de Goose, parceiro de Maverick que, no primeiro filme, faleceu após um falha no caça F-14. Quem era bebê em 1986 em 2019 já será um aguerrido piloto. O papel foi para Miles Teller, protagonista dos filmes Whiplash, Quarteto Fantástico e Cães de Guerra. Na vida real, o ator nasceu quase um ano depois do lançamento de Top Gun.

Órfão de Goose, ele seguiu os passos do pai

Um baita “personagem” também será substituído por um “filho mais novo”: o USS Enterprise saiu de serviço em 2012. O novo Top Gun já teve sequências de filmagens a bordo do USS Abraham Lincoln.

Outra presença confirmada no longa metragem é a de Val Kilmer, que no filme origem interpreta Iceman, concorrente de Maverick na disputa para saber quem era o melhor piloto.

Se nas telas ambos continuaram voando juntos, na vida real a coisa foi diferente: eles nunca mais trabalharam em um mesmo filme e, enquanto Tom Cruise recebeu três indicações ao Oscar (por Jerry Maguire, Nascido em 4 de Julho e Magnólia) e estrelou filmes de grande bilheteria (como a série Missão Impossível), Kilmer se tornou um ator de filmes mais modestos e por quatro vezes acabou concorrendo à “Framboesa de Ouro”, uma espécie de “prêmio” de pior ator.

O destino foi bem diferente para os dois…

Mesmo assim, as notícias dizem que os dois terão protagonismo e até teriam se tornado “unha e carne” nos sets de filmagens do novo Top Gun.

De 1986 para cá, Tom Cruise deixou de ser só um rostinho bonitinho e se tornou um dos maiores astros do cinema. Isso o qualificou a também assinar a produção do novo Top Gun. Vem dele, também, a indicação do diretor: Joseph Kosinski. Em 2012, Kosinski conduziu a ficção científica Oblivion, estrelada por Cruise. Esteve também a frente da sequência de Tron, em 2010, e de vários comerciais, quando se destaca pelo uso de imagens digitais.

A tecnologia, aliás, será mais presente no filme. Apesar das belas imagens, o primeiro Top Gun teve limitações técnicas. A maior parte das cenas não foi uma atuação para o filme, e sim foram retiradas de horas e horas de gravação de operações regulares dos caças F-14. Só quando havia atores em cena que tudo se passava de acordo com o estabelecido no roteiro.

Se conseguiram fazer isso com limitações técnicas, o que será que vão fazer agora?

Uma situação curiosa resultou na famosa sequência de filmagens com as aeronaves contra a luz do pôr do sol, com o céu alaranjado. No meio das tomadas, o porta-aviões mudou de curso, o que deixou o diretor Tony Scott desesperado. Ele então pediu ao comandante que retornasse para o rumo anterior, e foi informado que fazer isso iria impactar em 25 mil dólares os custos operacionais. O diretor então tirou a carteira do bolso e fez um cheque ali mesmo!

Já as cenas aéreas, a grande maioria envolvendo os caças que equipavam os esquadrões VF-51 “Screaming Eagles” e VF-111 “Sundowners”, além dos F-5 da Navy Fighter Weapons School, foram feitas naquela época a partir de um Learjet. Hoje, já há várias tecnologias que permitirão filmagens a partir dos próprios aviões de caça. A dinâmica das cenas poderá ser completamente diferente.

Além das técnicas de filmagem terem avançado em mais de três décadas, o cenário da guerra aérea também está mais tecnológico. A expectativa é a de que o novo Top Gun mostre os aviões de caça, mas também aborde a questão das Aeronaves Remotamente Pilotadas, os populares “drones”. Há ainda um mistério sobre quem seriam os vilões do filme. Russos? Chineses? Terroristas? Ninguém sabe.

No Top Gun original caças F-5 fizeram o papel dos fictícios MiG-28. Quem serão os vilões agora?

São dúvidas que provavelmente só vamos tirar no próximo dia 12 de julho.
Na primeira fileira.

Sobre o autor

Redação

Um comentário

Clique aqui para comentar

VI ENCONTRO DA CULTURA AEROESPACIAL

VI ENCONTRO DA CULTURA AEROESPACIAL

SAAB

SAAB

Últimas notícias

Parceiro

Fórum ASAS

Produtos

Carrinho