AVIAÇÃO COMERCIAL & PRIVADA

Airbus teria pago propinas em 16 países

Airbus-A220-300-new-member-of-the-airbus-Single-aisle-Family (1)

Logo após comemorar a quebra de recordes em 2019, a Airbus admitiu ter gasto milhões em propinas. A declaração foi oficializada em tribunais de Londres e Paris, com o objetivo de realizar acordos com multas de 3,6 bilhões de Euros (R$ 17 bi) aos órgãos reguladores. Porém, é possível que o problema vá além: pelo menos 16 países devem ter registrado casos de suborno, que ocorreriam pelo menos desde 2007.

O escândalo de corrupção envolvia empresas de fachada. Os inquéritos realizados em parceria entre França, Reino Unido e Estados Unidos revelam um esquema de pagamentos que ocorriam enquanto as aeronaves comerciais passavam pelas seleções das empresas, além de realização de fraudes. No caso da área militar, a acusação é de violações na divulgação de documentos.

As multas de 3,6 bilhões de Euros foram divididas para as autoridades reguladoras da França (2,1 bi), Reino Unido (983 milhões) e Estados Unidos (530 milhões). Vários funcionários da companhia foram interrogados, e altos executivos perderam seus postos. Com o acordo bilionário, a empresa se livrou do processo, por enquanto. Mas indivíduos ainda podem ser acionados na justiça. Em caso de reincidência, dificilmente a Airbus pode alcançar um novo acordo.

Visite a loja da Editora Rota Cultural e veja nosso acervo de
livros, edições da revista ASAS e produtos ligados à aviação!