AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

OTAN interceptou o “Pérola Negra” russo

A Força Aérea da Bélgica teve uma surpresa na semana passada. Entre setembro e janeiro seus F-16AM interceptaram 27 aeronaves russas durante o trabalho de policiamento aéreo que cumprem a partir da base aérea de Siauliai, na Lituânia. Porém, dessa vez, os caças encontraram o Tupolev Tu-134UB-K da Marinha Russa com um esquema de pintura único. A aeronave foi apelidada pela OTAN como “Black Pearl” (Pérola Negra).

A aeronave, com código oficial da OTAN “Crusty-B”, é uma variante da aeronave civil Tupolev Tu-134B e é usada para treinar tripulantes de bombardeiros Tu-160 e Tu-22M3. As características de pouso e decolagens seriam semelhantes às do Tu-160 Blackjack. A aeronave também foi modificada um bico do Tu-22. Há porém, a informação de que a aeronave atualmente só cumpriria missões de transporte.

Imagem IR divulgada

Quanto aos caças belgas, a presença na Lituânia faz parte do rodízio realizado pelas forças da OTAN para fortalecer a presença na região do Mar Báltico. Em geral, essas missões resultam em pacíficas interceptações de caças, bombardeiros e aeronaves de transporte, em geral a caminho do exclave de Kaliningrado.

As imagens em infra-vermelho divulgadas pela Força Aérea da Bélgica sugerem que os caças F-16AN estão equipados com o SNIPER – Advanced Targeting Pod, que tem um modo ar-ar para identificação de aeronaves.

Veja abaixo mais imagens divulgadas pela Força Aérea da Bélgica

A Força Aérea da Bélgica opera caças F-16AM, mas já encomendou os novos F-35. Na imagem, uma aeronave em alerta na Lituânia, onde o contingente está desde setembro
A missão no Báltico teve 27 interceptações reais entre setembro e dezembro
As interceptações, em geral, ocorrem de modo protocolar
Caça Flanker detectado pelo pod SNIPER em modo ar-ar

Visite a loja da Editora Rota Cultural e veja nosso acervo de
livros, edições da revista ASAS e produtos ligados à aviação!