AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Céu de brigadeiro?! Oficial-general da USAF abateu drone iraniano sobre a Síria

Foto: Perry Heimer / USAF
image_pdfimage_print

Um F-15E Strike Eagle da Força Aérea dos Estados Unidos abateu um drone, supostamente controlado do Irã, quando a aeronave remotamente pilotada se aproximou de um grupo de cerca de 900 militares dos EUA, no leste da Síria, no último sábado. Agora, mesmo na falta de declarações oficiais sobre o caso, sabe-se que a arma utilizada foi um míssil ar-ar de curto alcance AIM-9X Sidewinder.

Porém, um fato curioso também parece compor a história: de acordo com Steve Trimble, da Aviation Week, quem estava no comando da aeronave não era um jovem aviador, e sim o Brigadier-General Christopher Sage, comandante da 332nd Air Expeditionary Wing. Formado pela Academia da USAF em 1994, o aviador foi comandante do esquadrão 389th e do grupo de operações 366th, acumulando mais de 1.100 horas de voo em áreas de combate a bordo de caças F-15E no Iraque e no Afeganistão. Ao todo, ele supera as 4.400 horas de voo. Não há informações de quem seria o segundo ocupante do caça.

Por questões de segurança, a USAF também sequer confirma qual base na região tem operado com os caças F-15. A revista Star and Stripes especula ser a Muwaffaq Salti, na Jordânia, próxima à fronteira com a Síria. Em julho, um vídeo de divulgação mostrou que a USAF treinava com seus F-15 a inteceptação de drones na áreas. No mês anterior, foi a vez de uma unidade de F-16 ser capacitada na mesma missão, porém a partir da Arábia Saudita.

O abate realizado por um oficial general refuta a expressão brasileira “céu de brigadeiro”. Isso porque, por aqui, é dito que um militar que atinge essa patente pode até ainda realizar voos, mas sempre em céu limpo e condições meteorológicas ideais. Pelo visto, caso confirmado, isso está longe de ser algo válido para os brigadeiros dos Estados Unidos…

Lançamento! ASAS 119! Garanta já a sua na pré-venda!

O Voo do Impossível

Parceiros