AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

China terá novo porta-aviões até o fim do ano

Foto: Li Gang/Xinhua
image_pdfimage_print

O Shandong, primeiro porta-aviões desenvolvido e construído na China, foi para o mar no dia 1º de setembro e, após 22 dias de testes programados, deve ser declarado operacional até o fim do ano. O país já tem em serviço o Liaoning, que é o antigo porta-aviões soviético Varyag posto em serviço após uma ampla reforma. Pelo menos outros dois devem entrar em serviço nos próximos cinco anos.

Os porta-aviões chineses devem inicialmente operar com os helicópteros Z-9 e Z-18, além dos jatos J-15 Flying Shark, modelo desenvolvido a partir do Sukhoi Su-33, a versão naval do Flanker. Porém, o país já avança no desenvolvimento do J-31, um caça de quinta geração, o que inclui o fato de ser stealth, como o F-35 norte-americano.

O J-31 ainda está em fase de testes

Com deslocamento máximo de 70 mil toneladas (contra 100 mil da nova classe Gerald R. Ford, da US Navy), o Shandong poderá levar até 44 aeronaves a bordo. Os primeiros testes no mar aconteceram em maio de 2018. A construção começou em março de 2015. Apesar do porte, ao contrário dos porta-aviões norte-americanos e do francês Charles de Gaulle, os navios-aeródromos chineses não são movidos à energia nuclear.

Os ingleses Queen Elizabeth e Price of Wales também têm propulsão convencional.

Visite a loja da Editora Rota Cultural e veja nosso acervo de
livros, edições da revista ASAS e produtos ligados à aviação!

Garanta já a sua Edição 114 de ASAS!

Promoção Fim de Ano!

Novidade! Assine ASAS também na Versão Digital!

Parceiros