AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Drone da Boeing é o primeiro a reabastecer outra aeronave em voo

image_pdfimage_print

A Boeing anunciou hoje que pela primeira vez na história um drone reabasteceu outra aeronave em voo. O MQ-25 T1 Stingray se conectou com sucesso a um F-18 Super Hornet da US Navy. O teste foi realizado em 4 de junho.

Na parte inicial do voo, o piloto de testes a bordo do F-18 voou próximo do MQ-25 para garantir que ambas as aeronaves teriam estabilidade quando próximas. Segundo a Boeing, isso foi realizado em altitudes e velocidades diferentes.

Confira o vídeo da Boeing:

Após ser certificada a estabilidade, o drone MQ-25 Stingray estendeu sua mangueira de reabastecimento. O F-18 conseguiu se conectar com sucesso e receber combustível.

O sucesso ocorreu no 25º voo de testes do MQ-25. O primeiro ocorreu em dezembro do ano passado. O próximo passo é levar o protótipo para testes a bordo de um porta-aviões.

O MQ-25 deve substituir o próprio F-18 Super Hornet, hoje utilizado para reabastecer outras aeronaves dos grupos aéreos embarcados dos porta-aviões da US Navy quando não há a presença de aeronaves do tipo baseadas em solo, como os KC-10. Por enquanto, o Pentágono já decidiu investir 805 milhões de dólares apenas para a Boeing desenvolver o sistema.

O requisito estabelece a necessidade de, a 930 km de distância do porta-aviões, conseguir transferir até 6.800 kg de combustível para até seis aviões. O MQ-25 deverá reabastecer os F-18 Super Hornet, EA-18G Growler e F-35 Lightning II. Já há uma encomenda para sete dessas aeronaves, a serem entregues a partir de agosto de 2024. Porém, o programa CBARS (carrier-based aerial refueling system) prevê um total de 70 MQ-25. 

A chegada do MQ-25 é aguardada também porque hoje os porta-aviões norte-americanos não têm mais uma aeronave específica para a missão. Depois da aposentadoria dos S-3 Viking, caças F-18 Super Hornet com tanques subalares são utilizados para reabastecimento em voo, em um procedimento chamado de “buddy-buddy”. O MQ-25, além de realizar a missão, vai liberar os Super Hornet para seus outros voos.

O MQ-25 também será a primeira aeronave remotamente pilotada, popularmente chamada de “drone”, planejada para fazer parte das alas aéreas dos porta-aviões da US Navy. O X-47B Pegasus até operou a bordo, mas apenas em testes. O MQ-25 futuramente também deve ser empregado em missões de inteligência, vigilância e reconhecimento.

Visite a loja da Editora Rota Cultural e veja nosso acervo de
livros, edições da revista ASAS e produtos ligados à aviação!

Lançamento! ASAS 117

O Voo do Impossível

Parceiros