AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Exército Brasileiro testa sua Artilharia Antiaérea

Exército emprega mísseis antiaéreos RBS-70 e Igla-S
image_pdfimage_print

Disparos reais com canhões Bofors 40mm, do blindado Gepard e de mísseis portáteis RBS-70 e Igla-S foram realizados nesta semana no Campo de Instrução de Formosa, localizado no entorno do Distrito Federal. Mais de 600 militares participaram do exercício, que todo como objetivo atualizar as capacidades da artilharia antiaérea do Exército Brasileiro.

O Comandante da 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea (1ª Bda AAAe), General de Brigada Alexandre de Almeida Porto, explicou que também foram realizadas horas de treinamento no simulador. “Selecionamos, entre todos os que estavam aptos, os melhores para estar aqui presente e realizar o disparo”, disse o General.

Blindado é equipado com dois canhões de 35mm

Os blindados Gepard, com 37 unidades modernizados recebidas da Alemanha a partir de 2013, são equipados com dois canhões de 35mm com alcance de 5 km. Cada Gepard, cm peso total de 47,5 toneladas, é tripulado por três militares e tem um radar capaz de detectar alvos a distâncias de 10 km.

O RBS-70 e Igla-S são mísseis do tipo MANPAD (Man Portable Air Defence System), ou seja, que podem ser operados por um pequeno grupo de militares no solo. De origem sueca e russa, respectivamente, têm alcance estimado de 8 e 5 quilômetros. Já os canhões Bofors, calibre 40mm, contam com sistema de direção de tiro FILA (Fighting Intruders At Low Altitude).

Os disparos foram efetuados contra alvos aéreos desenvolvidos pelo 3º Grupo de Artilharia Antiaérea

Canhão Bofors 40mm

Fotos: Exército Brasileiro

Garanta já a sua Edição 114 de ASAS!

Promoção Fim de Ano!

Novidade! Assine ASAS também na Versão Digital!

Parceiros