AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

FAB e Exército aprimoraram operações de paraquedistas

Foto: Exército Brasileiro
image_pdfimage_print

Cento e vinte decolagens de aviões C-95 Bandeirante aconteceram para que militares da Força Aérea Brasileira e do Exército Brasileiro aprimorassem as técnicas de lançamento de paraquedistas. O treinamento realizado na primeira quinzena de março, em Natal (RN), teve como objetivo qualificar os aviadores responsáveis pela formação dos futuros pilotos de transporte da FAB.

A Companhia de Precursores Pára-quedista (Cia PrecPqdt) empregou a Equipe Alfa do 1º Destacamento de Precursores no cumprimento de missões de salto semiautomático e salto livre operacional (SLOp). Da parte da FAB, as tripulações do Esquadrão Rumba, da Ala 10, elevaram a qualificação operacional, padronizaram procedimentos e ampliaram os cuidados com a segurança das operações.

Foto: Exército Brasileiro

Esquadrão tem mais de 70 anos de instruções

A adaptabilidade é característica marcante do Esquadrão Rumba, na busca pelo cumprimento da missão da FAB. Após sua criação em 1947, a unidade mudou de sede e de missão por três vezes. Inicialmente criado em Natal (RN), o 1º/5º GAV tinha como missão formar pilotos de bombardeio utilizando as aeronaves North American B-25 “Mitchell” e depois as Douglas B-26 “Invader”. Em 1970, foi transferido para Recife (PE) e desativado em 1973, juntamente com o 5º Grupo de Aviação. Reativado em 1980 novamente em Natal, o Esquadrão passou a operar as aeronaves Embraer C-95 Bandeirante até 1991, quando passou a formar pilotos de ataque nas aeronaves T-27 Tucano.

Em 2001, o Alto-Comando da Aeronáutica sentiu necessidade de reestruturar a especialização de seus pilotos de combate e novamente o 1º/5º GAV se transformou. A unidade foi transferida para Fortaleza (CE) e voltou a operar o bimotor C-95 Bandeirante, para capacitar os pilotos da FAB nas aviações de patrulha, transporte e reconhecimento.

Em 2001, o Alto-Comando da Aeronáutica sentiu necessidade de reestruturar a especialização de seus pilotos de combate e novamente o 1º/5º GAV se transformou. A unidade foi transferida para Fortaleza (CE) e voltou a operar o bimotor C-95 Bandeirante, para capacitar os pilotos da FAB nas aviações de patrulha, transporte e reconhecimento.

Por fim, em 2014, o Rumba retornou a Natal, onde permanece até hoje, subordinado à Ala 10.

Visite a loja da Editora Rota Cultural e veja nosso acervo de
livros, edições da revista ASAS e produtos ligados à aviação!

Garanta já a sua Edição 114 de ASAS!

Promoção Fim de Ano!

Novidade! Assine ASAS também na Versão Digital!

Parceiros