AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

FAB faz valer sua “Dimensão 22”

A “bolacha” da “Dimensão 22” nos macacões dos tripulantes da Força Aérea Brasileira e na pintura das aeronaves (ver acima) fez mais sentido na sexta-feira passada. Um helicóptero H-36 Caracal do Esquadrão Falcão, sediado na Base Aérea de Natal, fez o resgate de um marinheiro acidentado a 470 km da costa brasileira, em águas internacionais.

Essa capacidade de realizar busca e resgate de longa distância cumpre o desaafio operacional de a Força Aérea Brasileira de operar em uma área de mais de 22 milhões de km², chamada de Dimensão 22. É que além das suas responsabilidades no território nacional (8,538 milhões de km²) e na zona econômica exclusiva sobre o Oceano (3,359 milhões de km²), a FAB precisa cumprir os acordos internacionais que colocam o Brasil como responsável pelo controle de tráfego áreo e por missões de busca e salvamento em uma ampla área de águas internacionais (9,992 milhões de km²), maior que o próprio território nacional.

Para isso, foi necessário investir. Em Natal e no Rio de Janeiro, a frota de helicópteros H-36 Caracal bimotores, pode operar com segurança sobre o Oceano Atlântico. Parte das aeronaves desse modelo receberam dotadas com sondas de reabastecimento em voo, que as tornarão aptas a voar centenas de quilômetros, com autonomia multiplicada.

No resgate da última sexta, porém, o alcance nominal da aeronave já foi suficiente. A aeronave H-36 Caracal decolou de Parnamirim (RN) para Fernando de Noronha (PE), onde realizou pouso técnico e, em seguida, voou até a posição do navio para realizar o resgate.

O helicóptero manteve o voo pairado enquanto os homens de resgate SAR desceram até o convés, imobilizaram a vítima e a içaram em uma maca. Ao final, o Esquadrão transportou o paciente para a capital do Rio Grande do Norte para receber atendimento médico especializado. Toda a operação durou aproximadamente cinco horas. A tripulação do helicóptero, formada por 11 militares, sendo 2 pilotos, 3 operadores de equipamentos, 3 homens de resgate, 2 médicas e 1 enfermeira, usou trajes especiais para minimizar o risco de qualquer contaminação por Covid-19.

A FAB também emprega helicópteros H-60 Black Hawk na missão de busca e salvamento sobre o mar. Aviões P-3AM Orion, P-95 Bandeirante Patrulha, SC-105 Amazonas, C-130 Hércules, R-99 e KC-390 Millenium também podem ser utilizados para localizar embarcações no Oceano.

Visite a loja da Editora Rota Cultural e veja nosso acervo de
livros, edições da revista ASAS e produtos ligados à aviação!

Assine Asas!

Parceiros