AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Força Aérea australiana fica em alerta com voo de bombardeiros russos

Tupolev Tu-95MS

Uma base da Força Aérea australiana foi colocada em alerta em função de gigantescos bombardeiros estratégicos russos Tupolev Tu-95MS, capazes de levar armas nucleares, conduzirem exercícios em águas internacionais próximas da Indonésia – no que alguns especialistas ocidentais “traduziram” como uma mensagem de Moscou sobre reanimar a influência russa no Pacífico Sul.

A Base Aérea de Darwin foi colocada em estado de maior prontidão no início de dezembro durante os exercícios russos que, segundo o Ministro da Defesa russo, envolveram a participação de dois Tupolev Tu-95MS, aviões-tanque Ilyushin Il-78, e um contingente composto de mais de 100 homens. Segundo a agência de notícias Russia Today, que transmite em inglês e é vinculada ao governo russo, essa seria a primeira patrulha aérea russa no Pacífico lançada da Indonésia, mas outras se seguirão. As aeronaves que decolaram da base indonésia de Biak, na ilha de Papua, e permaneceram em voo por mais de oito horas, sempre voando sobre águas internacionais.

O especialista em segurança nacional do Instituto Australiano de Política Estratégica, Peter Jennings, disse que os exercícios demonstraram que a Rússia ampliou sua influência em áreas mais periféricas do mundo. “É uma lembrança que a Rússia está aqui e quer ser um participante forte na segurança do Pacífico, e usará a força militar para demonstrar isso”, disse.

Em nota, o Ministério da Defesa russo disse que “os voos sobre águas internacionais no Ártico, nos Mares Negro e Cáspio e no Pacífico são conduzidos regularmente por aeronaves de longo alcance”, informou. “Todas as missões das Forças Aeroespaciais Russas são realizadas em estrita conformidade com a lei aérea internacional”.

Os bombardeiros russos deslocaram-se de suas bases originais na região de Amur, sudeste da Rússia, e foram reabastecidos em voo por aeronaves Il-78 sobre o Pacífico em sua rota para a Indonésia. Os Tu-95, de codinome “Bear” na OTAN têm um alcance de mais de 15 mil quilômetros sem reabastecimento.

O Departamento de Defesa Australiano informou através de seu porta voz que “As Forças de Defesa Australianas mantêm níveis apropriados de prontidão e postura para responder à evolução das circunstâncias. ”

 

Sobre o autor

Rafael Rinaldi

Jornalista, Técnico em Manutenção de Aeronaves e administrador de empresas. Apaixonado por aviação, fotografia e História.

Comente

Clique aqui para comentar

Nova edição da ASAS!!!

Nova edição da ASAS!!!

Lançamento!

Lançamento!

SAAB

SAAB

Últimas notícias

Parceiro

Fórum ASAS

Carrinho