AVIAÇÃO COMERCIAL & PRIVADA AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Aos 15 anos, UAC quer protagonismo tanto no mercado militar quanto civil

Foto: Pavel Bednyakov

A Dubai AirShow 2021, maior feira de aviação realizada após o início da pandemia, fugiu do padrão de ser um espaço limitado a grandes anúncios da Boeing, Airbus e outras empresas do Ocidente. Desta vez, a United Aircraft Corporation, da Rússia, comemorou ter chegado às manchetes, tanto na aviação civil quanto militar, além do setor de drones.

A estrela do evento foi o Su-75 Checkmate, futuro caça stealth russo criado para o mercado externo. A produção deve ser iniciada em 2025 e, na Dubai AirShow, foi ventilada até a oportunidade de a nova opção preterir o F-35, já em avançadas negociações pelos Emirados Árabes Unidos. Outros clientes no Oriente Médio, África, América Latina e Sudeste Asiático não estão descartados, sobretudo por não haver as limitações políticas impostas para a aquisição do F-35. Outra vantagem será o preço, estimado em até 1/3 do concorrente norte-americano.

Já o jato comercial MC-21 fez voos de demonstração com novos motores PD-14, produzidos na Rússia. Com aviônica moderna, assentos para até 163 passageiros e alcance de 6.400 km, a aeronave deve concorrer no mercado a partir do próximo ano com a mesma força de modelos da Boeing e da Airbus. Na demonstração aérea, o MC-21 fez uma passagem a 100 metros do público e mostrou sua manobrabilidade, além do surpreendente controle em voo seguro a apenas 210 km/h, algo fundamental para aproximações seguras e pousos curtos. Mais rápido, o jato também mostrou que tem potencial de sobra para subidas quase verticais.

Foto: Pavel Bednyakov

Por fim, outro destaque foi a Aeronave Remotamente Pilotada Orion, criada para missões de ataque e já com ampla experiência de uso pelos russos na Síria. O destaque é o uso de inteligência artificial, o que permite a um mesmo grupo de controladores “pilotar” até 20 aeronaves, todas equipadas com armamentos inteligentes. A autonomia de 24 horas, velocidade máxima de 120 km/h e peso de 250 kg também garante um longo tempo de permanência em tarefas de vigilância a até 7.500 metros de altura.

Foto: Vitaly V. Kuzmin

Criada em 2006 e englobando vários dos tradicionais fabricantes de aviões russos, como Beriev,Ilyushin, Irkut, Mikoyan, Sukhoi e Tupolev, em 15 anos, a UAC saneou a vida financeira das suas subsidiárias e já projeta alcançar lucro a partir de 2024.