AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Assim deve ser o futuro bombardeiro da USAF

O B-21 tinha dois requisitos principais: operar tanto com armamentos nucleares quanto convencionais e ter grande alcance
image_pdfimage_print

A Força Aérea dos Estados Unidos concluiu a fase de definições do futuro bombardeiro B-21 Raider. Depois de quase três anos de desenvolvimento, a Northrop Grumman chegou àquilo que o Pentágono espera para a aeronave.

O B-21 deve estar operacional em meados da próxima década. Um total de 100 unidades devem ser adquiridas para substituir os 62 B-1B Lancer atualmente em uso e, por volta de 2040, os 20 B-2 Spirit.

O projeto do B-21 venceu o Long Range Strike Bomber Program (LRS-B), que também teve uma proposta conjunta da Boeing com a Lockheed Martin. O objetivo é ter uma aeronave para atuação global, invisível a radares e capaz de operar tanto com bombas nucleares quanto convencionais.

Sobre o autor

Redação

Comentário

  • Pelo desenho parece ser subsônico. Substituir B1 supersônico por ele nao parece muito sensato. Também a quantidade de 100 unidades… B1 mais B2 são 82 unidades. Vamos ver se as previsões concretizam.
    Abraço

Clique aqui para comentar

Garanta já a sua Edição 114 de ASAS!

Promoção Fim de Ano!

Novidade! Assine ASAS também na Versão Digital!

Parceiros