AVIAÇÃO COMERCIAL & PRIVADA

Aviação civil brasileira bateu recorde de passageiros transportados

Avião da Gol Linhas Aèreas decolando do Aeroporto de Congonhas, dias antes da quarentena. Foto: Ariadne Barroso\Revista Asas
image_pdfimage_print

A pandemia de Covid-19 derrubou os números da aviação brasileira em 2020, mas em 2019 foram atingidos recordes que precisam ser lembrados. No ano passado, a aviação civil brasileira transportou 119,4 milhões de passageiros no mercado doméstico e internacional. O resultado foi 1,4% maior que o registrado em 2018. Os dados são da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

Ao longo de 2019, foram realizados 951 mil voos regulares e não regulares, categoria em que se enquadram os táxi-aéreo, fretamentos, aeromédico e outras modalidades. Os terminais que tiveram o maior número de decolagens no mercado doméstico em 2019 foram os de Guarulhos (12,6%), Congonhas (10,7%), Brasília (7,3%), Campinas (6,2%) e Confins (6%). Entre os 20 principais aeroportos brasileiros, o de Manaus foi o que apresentou a maior alta no último ano, com 9%.

Na distribuição de passageiros pagos transportados no mercado doméstico no ano passado, o aeroporto de Guarulhos obteve fatia de 14,5% do total registrado, seguido por Congonhas (11,7%), Brasília (8,4%), Confins (5,4%) e Galeão (4,9%). Entre os principais terminais do país, o Galeão apresentou a maior variação negativa em comparação com os dados de 2019, com 10,2%. O maior crescimento foi registrado no aeroporto de Campinas, da ordem de 14,4%.

O número de aeroportos atendidos passou de 122 em 2018 para 128 em 2019. O resultado foi motivado principalmente pela expansão da atuação da empresa Two Táxi Aéreo em aeroportos fora do estado de Minas Gerais.

Por outro lado, os indicadores registrados em 2019 podem ter sido impactados negativamente pela saída da Avianca Brasil do mercado aéreo. A empresa, que transportou aproximadamente 12% dos passageiros domésticos e 3% dos passageiros internacionais em 2018, teve suas operações suspensas em 24 de maio de 2019.

Partindo de um cenário de crescimento em 2019, os principais indicadores do transporte aéreo brasileiro sofreram grande queda em 2020 pela pandemia. O cenário atual ainda é de forte retração na economia em todo mundo, em especial no setor de turismo e no mercado de transporte aéreo. Como um dos feitos causados no setor, em abril deste ano a quantidade de passageiros transportados foi aproximadamente 95% menor do que registrado no mesmo mês de 2019. Os dados de julho de 2020 mostram uma leve retomada, com quantidade de passageiros 81% menor na comparação com o ano anterior.

Visite a loja da Editora Rota Cultural e veja nosso acervo de
livros, edições da revista ASAS e produtos ligados à aviação!

Garanta já a sua Edição 114 de ASAS!

Promoção Fim de Ano!

Novidade! Assine ASAS também na Versão Digital!

Parceiros