AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Civil ejeta sem querer de caça Rafale

Aeronaves para dois pilotos permitem que um ejete individualmente
A Força Aérea da França não divulgou o nome da vítima
image_pdfimage_print

Lambança na França. Um civil estava no assento traseiro de um caça Rafale B, de treinamento, e acabou ejetando sozinho ainda durante a decolagem. Com a quebra do cockpit, o vidro cortou a mão do piloto. Mesmo assim, ele conseguiu fazer um pouso de emergência.

O fato ocorreu no último dia 20 de março, na base aérea de Saint-Dizier. A aeronave é do Escadron de Chasse 1/7 “Provence”, sediado a leste de Paris.

Sem que o piloto tenha comandando o procedimento de ejeção, nem deixado a aeronave em posição favorável, o civil acabou tendo vários ferimentos, ainda que sem risco de morte. A Força Aérea da França não divulgou o nome da vítima, apenas que se tratava de um homem de 64 anos.

Ocasionalmente, forças aéreas convidam jornalistas ou autoridades para voos no assento traseiro de caças. Sempre há um briefing detalhado sobre o voo, havendo uma atenção especial sobre o assento ejetável. Uma das situações mais temidas é que o passageiro, com medo, acabe utilizando a alça do assento ejetável como apoio para as mãos. A falha do assento ejetável é uma possibilidade remota. Porém, o acidente do último dia 20 está sob investigação.

Conheça as páginas da revista ASAS no Facebook e no Instagram e acompanhe diariamente notícias sobre a Aviação!

Garanta já a sua Edição 114 de ASAS!

Promoção Fim de Ano!

Novidade! Assine ASAS também na Versão Digital!

Parceiros