Com 10 anos, aviões P-3AM da FAB vão receber novas asas

Pouco antes de completarem dez anos em serviço na Força Aérea Brasileira, os aviões de patrulha marítima P-3AM Orion já vão receber novas asas para se manter operacionais. O primeiro par foi encaminhado neste mês pela empresa Akaer para o Parque de Material Aeronáutico do Galeão (PAMA-GL), que fará o trabalho de troca.

Os P-3 brasileiros, de fato, não são novas. As aeronaves foram selecionadas nos depósitos dos Estados Unidos no deserto e foram recuperadas antes de passarem por um extenso programa de modernização, realizado na Espanha, quando foram incorporados sistemas de última tecnologia.

Desde antes da modernização já circulavam informações de que os P-3 selecionados pela Força Aérea Brasileira poderiam apresentar problemas nas asas. Na época, o negócio foi considerado de baixo custo, com doze células negociadas por US$ 7 milhões, sendo que três serviram exclusivamente como fonte de peças. De todo modo, nove aviões foram modernizados na Espanha e recebidos entre julho de 2011 e julho de 2014.

LEIA TAMBÉM: Argentina vai voltar a voar P-3

LEIA TAMBÉM: P-3 começa a se despedir nos EUA

Após a chegada ao Brasil, contudo, houve uma sucessão de problemas. O P-3AM com matrícula 7207, recebido em fevereiro de 2013, antes de completar sete anos de serviço passou dois e meio no Parque de Material Aeronáutico do Galeão (PAMA-GL), sendo o primeiro P-3 a passar por uma “Phased Depot Maintenance” (PDM) no Brasil.

Agora, o Parque realizará a troca de asas por unidades revitalizadas pela empresa Akaer, que trabalha no projeto desde 2018. A companhia fará a substituição de diversos elementos primários de todos os conjuntos de asas, tais como revestimentos superiores, longarinas dianteiras e traseiras, painéis superiores e inferiores dos caixões centrais asa/fuselagem, entre outras ações.

A expectativa é a de que a troca consiga manter as aeronaves em voo e prolongue a vida útil. De fato, apesar de se tratarem de células envelhecidas, os sistemas instalados na Espanha elevam os P-3AM brasileiro aos mais avançados patamares tecnológicos do mundo para a missão.