AVIAÇÃO COMERCIAL & PRIVADA

Dólar alto faz Azul, Gol e Latam registrarem prejuízo de 9,7 bilhões

Aeroporto de Brasília Foto: Inframérica
image_pdfimage_print

Nos três primeiros meses de 2020, Azul, Gol e Latam registraram um prejuízo de 9,7 bilhões de Reais. E, de acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), a culpa foi a subida do dólar.

Com relevante influência nos custos operacionais do transporte aéreo, o valor médio do litro de querosene de aviação – QAV e a taxa de câmbio mantiveram-se sob tendência de alta no primeiro trimestre de 2020, na comparação com igual período do ano anterior, subindo, respectivamente, 9% e 18,2%. Outro fator que gerou impacto no período, sobretudo no mês de março, foi a pandemia do novo coronavírus, que levou as empresas a ajustarem a malha aérea, conforme a queda na demanda de passageiros. No período, houve redução de 9,1% dos passageiros pagos transportados.

Em relação às despesas operacionais das três empresas (Azul, Gol e Latam), o 1º trimestre de 2020 foi marcado pela redução dos gastos em 41,8%, saindo de R$ 1 bilhão, no mesmo período de 2019, para R$ 638 milhões. Entre os motivos, destacam-se a contabilização do acordo feito entre Gol e Boeing e créditos de PIS e COFINS.

Visite a loja da Editora Rota Cultural e veja nosso acervo de
livros, edições da revista ASAS e produtos ligados à aviação!

Garanta já a sua Edição 114 de ASAS!

Promoção Fim de Ano!

Novidade! Assine ASAS também na Versão Digital!

Parceiros