AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Embraer e Exército vão estudar desenvolvimento de radar para localizar artilharia inimiga

A Embraer e o Departamento de Ciência e Tecnologia do Exército Brasileiro (DCT) assinaram hoje (9 de dezembro) um Acordo de Cooperação Técnica para estudos e análises conjuntas dos conceitos técnicos e operacionais de um futuro Sistema Radar de Contrabateria (SRCB). Um equipamento deste tipo tem como objetivo localizar as peças de artilharia e os projéteis disparados, determinando a origem e o término da trajetória. É um sistema específico, diferente de um radar de vigilância aérea ou diretor de tiro, por exemplo.

Segundo o Acordo de Cooperação Técnica, serão realizados estudos para identificar qual o nível de utilização tecnológica e industrial dos sistemas de radares já desenvolvidos pelo Centro Tecnológico do Exército. Um dos objetivos é estimar as capacidades necessárias para a concepção de desenvolvimento de um SRCB.

“Hoje o Brasil pertence a um seleto grupo de países que domina a tecnologia e a fabricação de radares. Temos certeza de que a presente cooperação permitirá dar prosseguimento às iniciativas existentes, perpetuando conhecimento, retendo tecnologias e ampliando capacidades de cunho estratégico para a Força Terrestre”, disse o Chefe do Departamento de Ciência e Tecnologia do Exército, General de Exército Guido Amin Naves.

Atualmente, a Embraer já é uma das principais empresas participantes do Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (SISFRON) do Exército Brasileiro. “Vamos expandir as competências da Embraer no campo da pesquisa e do desenvolvimento de radares e sistemas terrestres, compreendendo sensores e suas aplicações civis e militares”, completou Jackson Schneider, Presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurança.