AVIAÇÃO COMERCIAL & PRIVADA

Empresas da área de drones comemoram nova legislação brasileira

Com o crescimento de 40% no número de solicitações para voos de aeronaves remotamente pilotadas, popularmente conhecidas como drones, o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) atualizou a legislação para o tema com foco na desburocratização. A nova ICA 100-40 foi criada para agilizar as solicitações de voos, diminuir o tempo para recebimento de respostas e flexibilizar o uso de drones em locais próximos a aeroportos.

Para Rogério Neves, CEO da CPE Tecnologia, empresa que atua no mercado de soluções para geotecnologia, essa mudança era necessária. “Com o crescente aumento do número de drones no espaço aéreo brasileiro, era muito importante que houvesse flexibilizações para aproveitarmos os benefícios dessa ferramenta em sua totalidade”, fala.

O executivo afirma que “os drones são tecnologias utilizadas todos os dias por diversas profissões em vários setores. Com a evolução deles e a melhor adaptação das leis e regulamentações, poderemos ver ainda mais drones sendo utilizados. No campo da topografia, por exemplo, eles são essenciais”.

Um dos recursos mais utilizados em drones atualmente é o laser scanner acoplado. Neves comenta que “quando acoplamos lasers, conseguimos aumentar ainda mais essa precisão de leitura de áreas, promover mais agilidade e aumentar a quantidade de dados coletados em pouco tempo. Esse recurso pode ser utilizado em levantamentos topográficos, planialtimétricos e cadastrais, geração de modelos digitais de terrenos e elevações, modelos 3D e inspeção de estruturas, tornando o trabalho mais rápido e preciso, o que é benéfico para toda a cadeia produtiva”.

Além dos setores de topografia, agrimensura e geotecnologia, os drones são comumente vistos nas áreas de construção civil, meio ambiente, mineração, projetos de engenharia, geologia, entre outros.

USE O CUPOM: FRETE GRÁTIS

NOVA EDIÇÃO DA ASAS!

Carrinho