AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Esquadrão Bayi revela capacidade da China para operar a grandes distâncias

A ida do esquadrão de demonstração aérea Bayi, da força aérea da China, ao Dubai Air Show acabou se tornando uma mostra da capacidade dos aviadores do país em operarem a longas distâncias. Os sete jatos Chengdu J-10C fizeram a viagem de mais de 7.000 km entre a base aérea de Yangcun, próximo à Pequim, e Dubai sem a presença de nenhuma aeronave de apoio logístico nem para auxílio à navegação.

A viagem, tornada pública pela imprensa estatal chinesa, até pelo seu caráter comemorativo e diplomático, também serviu para mostrar as capacidades dos chineses de fazer voos a longas distâncias. Atualmente, o país tem sido foco de tensões geopolíticas na Ásia, havendo preocupações dos Estados Unidos e dos seus aliados na região a respeito da capacidade chinesa de realizar ataques a milhares de quilômetros de distância.

O Chengdu J-10 é uma das opções de aviões de caça de origem chinesa Foto: Ministério da Defesa da Rússia

Nem todas as informações foram reveladas. Como o alcance de traslado do J-10 é inferior a 5.000 km, certamente ocorreu pelo menos uma parada para reabastecimento. No entanto, não foi divulgado nem onde isso ocorreu, nem quanto tempo durou, tampouco a duração total da viagem. A rota, na maior parte feita sobre terra, possivelmente passou por Paquistão e Irã. O fato é que os aviões chegaram cinco dias antes do show aéreo, programado para começar na segunda-feira.

Em serviço com a força aérea e com a marinha da China, o J-10C já foi exportado para o Paquistão. A expectativa é promover o jato multifuncional como uma opção aos modelos ocidentais, sendo alegada uma capacidade semelhante às encontradas nos F-16.

NOVA EDIÇÃO DA ASAS!

USE O CUPOM: FRETE GRÁTIS

Carrinho