AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Esquadrão da Marinha passou 10 anos sem praticar tiro terrestre com canhão

Foto: Marinha do Brasil

O 1ª Esquadrão de Aviões de Interceptação e Ataque (EsqdVF-1) da Marinha do Brasil, equipado com caças AF-1 (A-4 Skyhawk), passou mais de 10 anos sem praticar tiro terrestre com os canhões de 20mm. A informação foi divulgada pela própria força naval em seu site oficial.

A situação mudou em 2021. Entre os dias 22 de abril e 15 maio o Esquadrão realizou uma campanha de emprego ar-solo. Um AF-1B (monoplace modernizado) e AF-1C (biplace modernizado) operaram a partir da Base Aérea de Natal para utilizarem o estande de tiro de Maxaranguape (RN).

O comunicado divulgado pela Marinha do Brasil informou que foram treinadas as modalidades de Bombardeio de Média Altura (BMA) com lançamento de BEX -11 e Tiro Terrestre (TT) com uso da metralhadora de 20mm. Em seguida, foi esclarecido que esta última modalidade não era realizada há mais de 10 anos pelo esquadrão.

Na campanha realizada em abril e maio, foram utilizadas 113 bombas BEX-11 e 470 cartuchos de 20mm. Foi o suficiente para qualificar/requalificar oito pilotos em Ataque Ar-Solo, além de formar dois líderes de formatura em estande para emprego do armamento. Adicionalmente foram realizados diversos testes do software operacional de voo (OFP) das aeronaves modernizadas, avaliando a precisão do sistema de pontaria nos mais variados perfis de emprego.

Vale lembrar que os pilotos da Marinha realizam esse tipo de missão durante sua formação como pilotos, realizada na Força Aérea Brasileira e na US Navy.