AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

FA-50 deve ganhar novas capacidades

Foto: KAI
image_pdfimage_print

O caça leve FA-50 Fighting Eagle deve ganhar novas capacidades operacionais. O Ministério da Defesa da Coreia do Sul planeja ampliar o alcance e as potencialidades de combate da aeronave, que já tem 60 unidades em serviço.

O objetivo é conseguir substituir plenamente as aeronaves F-5E/F e F-4E, modelos multifuncionais e atualmente em fase final da vida útil. Evolução do treinador T-50 Golden Eagle, o FA-50 Fighting Eagle tem capacidades atualmentem mais adequada para missões de ataque à superfície e autodefesa.

A capacidade ar-ar atualmente tem como destaques o canhão M197, com três canos de 20mm, e mísseis AIM-9 Sidewinder, além do radar AN/APG-67(v)4. Algumas aeronaves vendidas para a Força Aérea das Filipinas já contam com capacidade de lançar mísseis BVR.

Agora, a Korea Aerospace Industries (KAI) deve ampliar essa capacidade bélica do FA-50. Outra proposta é incluir tanques de combustíveis conformais, um novo radar e pods avançados de guerra aquisição e iluminação de alvos.

Disponível apenas na versão biplace, o FA-50 utililiza um motor General Electric F404 com afterburner. A velocidade máxima é em torno de Mach 1.5.

Até agora, a versão FA-50 só foi adquirida pela Coreia do Sul e Filipinas. Colômbia e Argentina já foram possíveis clientes, mas nada foi fechado. Com as modernizações, crescem a chance de o caça se tornar uma opção de baixo custo para reequipar forças aéreas.

Visite a loja da Editora Rota Cultural e veja nosso acervo de
livros, edições da revista ASAS e produtos ligados à aviação!

Garanta já a sua Edição 114 de ASAS!

Promoção Fim de Ano!

Novidade! Assine ASAS também na Versão Digital!

Parceiros