AVIAÇÃO COMERCIAL & PRIVADA AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

FAB reforça controle do espaço aéreo em Porto Alegre e isenta taxas

Aeronave do governo do Ceará cruza o País para se juntar aos esforços humanitários no Rio Grande do Sul. Foto: CIOPAER/CE

Até o dia 30 de maio, aeronaves em voo na região de Porto Alegre (RS) contam com o apoio da “Rádio Taquari”, unidade de Serviço de Informação de Voo de Aeródromo (AFIS) instalada pela Força Aérea Brasileira (FAB), por meio do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), montada no Terceiro Regimento de Cavalaria de Guarda (3º RGG), na capital gaúcha. O objetivo é prestar auxílio às aeronaves envolvidas nas missões humanitárias necessárias no contexto da catástrofe ambiental que afeta o Rio Grande do Sul.

“A FAB, por meio do Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Canoas, já vinha prestando toda a coordenação e controle de tráfego aéreo às aeronaves, entretanto, devido ao grande número de helicópteros atuando na região, observou-se a necessidade de implementar um controle adicional no local onde se concentram as aeronaves, para aumentar a consciência situacional, eficiência e segurança das operações aéreas de resgate”, explica o comandante do Esquadrão Aranha, Major Vinicius Vilanova Vale. A unidade é especializada em prover apoio de comunicação e controle.

Foto: DECEA

A estrutura conta com geradores, antenas para enlace de dados via satélite, computadores interligados em rede e sistemas de comunicação VHF-AM. Cerca de 40 militares, entre técnicos, meteorologistas e controladores de tráfego aéreo foram mobilizados para esta operação. Já são cerca de 200 movimentos aéreos diários na região. Além de aeronaves do Corpo de Bombeiros e da Brigada Militar do Rio Grande do Sul, estão na área aeronaves civis, das Forças Armadas e de outras regiões do Brasil, como Ceará e Distrito Federal, que enviram helicópteros.

Ao mesmo tempo, o Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Canoas (DTCEA-CO) ganhou protagonismo com o fechamento do Aeroporto Internacional Salgado Filho, totalmente afetado pelas enchentes, e o papel da Base Aérea de Canoas como principal pista de pouso na região metropolitana. “Estamos trabalhando diuturnamente para possibilitar a operação segura e eficiente das aeronaves envolvidas nos resgates em apoio às vítimas da tragédia. Nossos militares atuam 24 horas por dia no Controle de Aproximação (APP-PA) e Rádio Canoas (AFIS-CO). Apesar das dificuldades pessoais e de familiares, nossos militares permanecem 100% engajados no cumprimento da nossa missão”, declarou o comandante do DTCEA-CO, Capitão Carlos Emilião Pinto.

Foto: DTCEA Canoas

Isenção de taxas

Ao mesmo tempo, aeronaves envolvidas com o transporte de donativos, medicamentos, alimentos, equipamentos e insumos para a população do Rio Grande do Sul contam agora com isenção das tarifas de navegação aérea. A iniciativa inédita é válida exclusivamente para voos de assistência humanitária que estão prestando auxílio à calamidade na região.

“Acredito que todos os esforços para quem está trabalhando nessa grande missão merece total reconhecimento e apoio. Portanto, as aeronaves que prestam suporte às enchentes do povo gaúcho terão 100% de isenção nas cobranças”, explicou o Diretor-Geral do DECEA, Tenente-Brigadeiro do Ar Alcides Teixeira Barbacovi.

Foto: DECEA

A dispensa do pagamento é válida para a Tarifa de Uso das Comunicações e dos Auxílios à Navegação Aérea em Rota, Tarifa de Uso das Comunicações e dos Auxílios Rádio à Navegação Aérea em Área de Controle de Aproximação e Tarifa de Uso das Comunicações e dos Auxílios Rádio à Navegação Aérea em Área de Controle de Aeródromo. Na prática, isso significa a isenção total das tarifas de voos cobradas pelo Departamento.

NOVA EDIÇÃO DA ASAS! PRÉ-VENDA!

USE O CUPOM: FRETE GRÁTIS

Carrinho