AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

França treina capacidade de projeção global

Foto: Armée de l'air et de l'espace
image_pdfimage_print

Levar um componente de combate para o outro lado do mundo em menos de 48 horas. Foi esse o objetivo estabelecido pela força aérea da França na chamada operação Heifara Wakea.

Houve sucesso. Com o apoio de um par de A330 Phénix e um par de A400M Atlas e com escalas na Islândia, Canadá e Estados Unidos, um trio de caças Dassault Rafale conseguiu estar operacional no Taiti, território da França, em 39 horas. Foram percorridos 17.000 km, com um total de 13 operações de reabastecimento em voo.

Vinte uma horas após o pouso, o destacamento realizou o primeiro voo de treinamento. Nos cinco dias seguidos, as aeronaves realizaram exercícios na região da Polinésia Francesa.

Foto: Armée de l’air et de l’espace

Para garantir que não se tratava de um mero deslocamento, os três caças se aproximaram do Taiti em um perfil de voo semelhante a um ataque. O traslado ocorreu entre os dias 20 e 21 de junho.

“Garantimos aos polinésios que nós podemos protegê-los mesmo a mais de 17 mil km de distância. A França mostra que é confiável e que tem um poder de equilíbrio para ajudar seus concidadãos, se necessário”, disse o chefe da missão, General Louis Pena.

Foto: Armée de l’air et de l’espace

Os A330MRTT e A400M Atlas, além de realizarem os reabastecimentos em voo, tiveram o papel de transportar as equipes de apoio, realizar a comunicação da esquadrilha e determinar as melhores rotas de acordo com as condições climáticas.

A França já adquiriu quinze A330MRTT Phénix, sendo que doze devem estar operacionais até 2023. Hoje são quatro. Já o A400M teve uma encomenda maior: 50 unidades.

Foto: Armée de l’air de l’espace

A Armée de l’air e de l’espace anunciou haver o plano para uma missão de 20.000 km de distância com vinte caças Rafale, o que vai exigir um número ainda maior de A330 envolvidos.

Bases fora da Europa

Localizado no Pacífico, o Taiti é uma possessão da França, e por isso desde 1961 é casa do Détachement air 190 Tahiti-Faa’a, hoje equipado com aviões CN235-200 e Falcon 200 Gardian, além de helicópteros Aloutte III e Dauphin N3+. Porém, no fim de junho, o local recebeu caças Dassault Rafale, enviados para reforçar a capacidade de projeção francesa.

A França possui bases aéreas na Guiana Francesa (América do Sul), Martinica (Caribe), Nova Caledônia (Oceania) e Reunião (África), todos territórios franceses. Há ainda a presença em países amigos: Senegal, Djibouti, Gabão, Chade e Emirados Árabes Unidos.

Visite a loja da Editora Rota Cultural e veja nosso acervo de
livros, edições da revista ASAS e produtos ligados à aviação!

Lançamento! ASAS 118! Garanta já a sua na pré-venda!

O Voo do Impossível

Parceiros