AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Gripen e F-35 disputam contrato de US$ 15 bi; F-18 está fora

O F-18E/F Super Hornet está fora dos planos do Canadá. Segundo informação divulgada pelo jornal Times Colonist e confirmada pela agência Reuters, a Boeing foi informada que sua proposta não atende aos requisitos do programa, que prevê a compra de 88 caças por US$ 15 bilhões (ou 19 bilhões de dólares canadenses). O F-39E Gripen e o F-35A Lightning II continuam no páreo.

A decisão surprende. Depois de a Dassault ter retirado seu Rafale da disputa, esperava-se que o Gripen fosse eliminado porque a Suécia não é sequer um país-membro da OTAN. O Canadá também tem experiência de voar versões anteriores do Hornet desde os anos 80 – o F-18A/B constitui atualmente a aviação de caça do país. Porém, a Boeing teve problemas com o Canadá em 2017, por conta da acusação de que o governo do país favoreceria a Bombardier nos negócios da aviação comercial.

Já o F-35, que chegou a ser apontado como opção lógica do país, inclusive com empresas canandeses participando do início do desenvolvimento. O país planejava adquir 65 aeronaves. Porém, o caça da Lockheed Martin passou a ser criticado pelo custo de aquisição e de operação.

Uma eventual venda do Gripen para o Canadá pode representar uma nova perspectiva para o caça da Saab, que também concorre na Finlândia e na Colômbia.