AVIAÇÃO COMERCIAL & PRIVADA DOS ARQUIVOS DE ASAS

Há 45 anos, tragédia com Lynyrd Skynyrd alertou para riscos da pane seca 

Um Convair 240, semelhante ao envolvido no acidente

Acordes de canções da banda de country rock Lynyrd Skynyrd, como “Simple Man”, “Free Bird” e “Sweet Home Alabama”, ainda ecoam em filmes, festas, jogos e comentários de fãs do ritmo, mas há exatos 45 anos, em 20 de outubro de 1977, uma tragédia aeronáutica praticamente acabou com a carreira do Lynyrd Skynyrd. A bordo de um Convair CV-240, a banda foi vítima de um acidente causada por pane seca.  

A aeronave havia decolado do aeroporto de Greenville, na Carolina do Sul, com destino a Baton Rouge, na Lousiana, com 26 ocupantes, sendo dois pilotos e 24 passageiros. O Convair foi abastecido com 400 galões de gasolina, o suficiente para cinco horas de voo, mais que o bastante para uma rota que levaria cerca de 2h40. 

Porém, já perto de Baton Rouge, o motor direito começou a fazer ruídos estranhos e em seguida parou, conforme contaram os sobreviventes. A tripulação, mesmo informando ao controle de tráfego que não estava declarando emergência, solicitou vetoração para tentar um pouso de emergência no aeroporto Mc-Comb-Pike County. Não conseguiu. A aeronave caiu em um pântano em Amit County por volta das 18h52, horário local.  

Destroços do avião do Lynyrd Skynyrd. Foto: Associetad Press

A investigação não contava com recursos como gravadores de voz e de dados (caixas pretas), mas a falta de incêndio e a fala dos pilotos no rádio de que haveria problemas de indicação de combustível deram as dicas iniciais. Não era um erro do indicador: o Convair CV-240 caiu por pane seca. 

Posteriormente, descobriu-se que a aeronave apresentava anteriormente um problema no motor direito, que aumentava o consumo. Além disso, a tripulação não realizou o correto gerenciamento da mistura de ar com combustível, aumentando ainda mais o desperdício. Meros dois dias antes, o motor direito havia soltado labaredas em voo.  

A investigação do NTSB, órgão governamental dos Estados Unidos responsável pelo trabalho, demonstrou ter havido negligência na operação e na manutenção da aeronave. Antes do Lynyrd Skynyrd, a banda Aerosmith havia avaliado alugar o mesmo avião, porém desistiu ao supostamente verem os pilotos bebendo na cabine. A investigação após o acidente fatal, no entanto, não constatou álcool ou drogas nos corpos dos pilotos. 

Além deles dois, a tragédia também vitimou o road manager Dean Kilpatrick, a backing vocal Cassie Gaines, o guitarrista Steve Gaines (irmão de Cassie) e o frontman da banda, Ronnie Van Zant. Ele sempre dizia que nunca iria completar 30 anos. Faleceu aos 29, a 89 dias do seu aniversário. 

Lynyrd Skynyrd em 1977

NOVA EDIÇÃO DA ASAS!

USE O CUPOM: FRETE GRÁTIS

Carrinho