AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Kuwait acelera modernização da sua defesa aérea

Com a experiência de ter tido seu território invadido no início da Guerra do Golfo, o Kuwait decidiu acelerar o reforço da sua defesa aérea com o aumento das tensões no Oriente Médio. Após levar mais de dois anos para receber 15 dos seus 28 caças Eurofighter Typhoon adquiridos em 2016, o país acertou o recebimento de toda a encomenda até o fim do próximo ano.

Quatro aeronaves chegaram à base aérea de Ali Al Salem no fim de outubro. O país já conta com pilotos preparados para voar o modelo e o contrato de 8,7 bilhões de dólares assinado com o conglomerado europeu Leonardo também incluiu o treinamento de militares e um pacote de manutenção. Das 28 aeronaves compradas, 22 são monoplaces e seis biplaces.

Os Typhoon do Kuwait estão entre os mais avançados do mundo. Entre as tecnologias a bordo estão radares AESA Captor-E, sensor óptico Pirate, sistema de guerra eletrônica DASS e o pod Sniper, da Lockheed Martin. Mísseis Storm Shadow e Brimstone, além de bombas JDAM e Paveway II, dão a capacidade de atingir alvos de superfície de diversos tipos. Para defesa aérea, destacam-se os AIM-120C-8.

O Kuwait também planeja para o fim de 2023 ou início de 2024 o recebimento dos primeiros dos 28 F-18E/F Block III, sendo 22 da versão monoplace e seis da biplace. As aeronaves devem contar com os sistemas mais modernos oferecidos pela Boeing.

Atualmente, o país tem na sua aviação de caça 27 F-18C e 7 F-18D, remanescentes de uma compra de 32 F-18C e oito F-18D recebidos entre outubro de 1991 e agosto de 2013. Essas aeronaves substituíram os A-4KU, revendidos no fim dos anos 90 para a Marinha do Brasil. Já os F-18C/D foram usados, além da defesa do próprio Kuwait, em mais de três mil missões sobre o Iêmen, país em conflito desde 2015.

NOVA EDIÇÃO DA ASAS!

USE O CUPOM: FRETE GRÁTIS

Carrinho