AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Aposentadoria de bombardeiros B-1B não diminui poder da USAF

Foto: Ryan C. Grossklag / USAF
image_pdfimage_print

A informação de que bombardeiros B-1B foram aposentados pode dar a entender que a United States Air Force (USAF) sofreu uma redução do seu poder de fogo. Mas o objetivo é exatamente o contrário: “Isto não afetará a letalidade, permitirá focar na manutenção das aeronaves restantes, aumentando a prontidão e pavimentando o caminho para a modernização da frota de bombardeiros”, informou a USAF em seu comunicado.

Ao todo, 17 aeronaves foram retiradas do serviço ativo, o que reduziu a frota de 62 para 45 unidades. Foram selecionadas para permanecer em voo aquelas com a estrutura em melhor condições. “Devido ao desgaste causado à frota B-1 nas últimas duas décadas, a manutenção desses bombardeiros custaria dezenas de milhões de dólares por aeronave. E isso é apenas para corrigir os problemas que conhecemos. Estamos apenas acelerando as aposentadorias planejadas”, informou o General Timothy Ray, comandante do Air Force Global Strike Command.

Foto: Jonah Fronk / USAF

De acordo com o US Government Accountability Office (GAO), agência do poder legislativo dos Estados Unidos responsável por avaliar os gastos públicos, em linhas gerais, o equivalente ao Tribunal de Contas da União (TCU) brasileiro, entre 2011 e 2019 a frota de B-1B não atingiu suas metas operacionais em nenhum ano. Isso quer dizer que as aeronave tiveram algum nível de disponibilidade, mas, ainda que tenha sido elevado, foi abaixo do planejado. Com menos aviões na ativa, a expectativa é aumentar o número dos que estiverem prontos para efetivamente cumprir suas missões.

Em 2003 já haviam sido retiradas de serviço 33 aeronaves B-1B. Oito delas, inclusive, já podem ser encontradas em exposição, todas em museus dos Estados Unidos. Toda a frota de B-1B deve ser aposentada até 2036.

O foco agora é preparar a USAF para o recebimento dos primeiros B-21 Raider, o que deve ocorrer entre 2026 e 2027. A expectativa é de que o primeiro voo do B-21 ocorra em 2022. “Começar a aposentar os bombardeiros antigos para abrir caminho para o B-21 Raider é algo pelo qual temos trabalhado há algum tempo”, afirmou o General.

Visite a loja da Editora Rota Cultural e veja nosso acervo de
livros, edições da revista ASAS e produtos ligados à aviação!

Lançamento! ASAS 116

O Voo do Impossível

Parceiros