AVIAÇÃO COMERCIAL & PRIVADA

Boeing deve desistir da compra da Embraer

Embraer 195 E2
image_pdfimage_print

A compra da linha de aviação comercial da Embraer pela Boeing deve ser cancelada. As empresas tinham até hoje para ratificar a negociação, mas não fizeram. Com a notícia, as ações da empresa brasileira despencaram 10,68% hoje, enquanto as da Boeing caíram 6,36%.

A informação foi divulgada hoje pelo jornal Financial Times. O anúncio oficial da desistência pode ocorrer ainda neste fim de semana. A Boeing deverá pagar até 100 milhões de dólares pela quebra do acordo.

O negócio previa a criação da empresa Boeing Brasil Commercial, que seria 80% controlada pela Boeing e 20% pela Embraer. A nova companhia iria ficar com todos os projetos de aviação comercial da Embraer.

O negócio era avaliado em US$ 4,75 bilhões, mas a Boeing atualmente enfrenta tanto a crise causada pela parada dos jatos 737 Max quanto as expectativas negativas para o setor aéreo por conta da pandemia de Covid-19. Um dos interesses da Boeing na Embraer era no corpo de engenheiros brasileiros, que seria direcionado para a criação de novas aeronaves para a companhia norte-americana. Porém, com a crise mundial de aviação não há perspectivas de mercado para novos produtos.

A negociação da Boeing com a Embraer também era alvo de críticas políticas nos Estados Unidos, pois a empresa pediu um auxílio de 60 bilhões de dólares, logo, o investimento na compra da linha civil de jatos da Embraer parecia inadequado para o momento. Também havia planos para a criação de uma joint venture entre Boeing (49%) e Embraer (51%) para a produção do KC-390.

Visite a loja da Editora Rota Cultural e veja nosso acervo de
livros, edições da revista ASAS e produtos ligados à aviação!

Garanta já a sua Edição 114 de ASAS!

Promoção Fim de Ano!

Novidade! Assine ASAS também na Versão Digital!

Parceiros