AVIAÇÃO COMERCIAL & PRIVADA

Boeing quer profissionais brasileiros para disputar mercado de US$ 8 trilhões

787 Dreamliner Foto: Boeing

A Boeing quer contar com profissionais brasileiros para disputar um mercado estimado de US$ 8 trilhões de dólares nos próximos 20 anos. É esse o cálculo da empresa para o setor de aviação em duas décadas, o que demandará reforço de equipes formadas por profissionais de alta qualificação. Por esse motivo, a gigante norte-americana inaugurou neste mês, em São José dos Campos (SP), seu 15º Centro de Engenharia e Tecnologia.

“Nossos investimentos no Brasil são amplos e refletem o fato de que a Boeing considera o país um parceiro estratégico para solucionar alguns dos maiores desafios da indústria aeroespacial do mundo”, afirma Landon Loomis, Presidente para América Latina e Caribe e Vice-Presidente de Políticas Globais da Boeing.

Logo na inauguração, a Boeing anunciou o primeiro programa de estágio da empresa no Brasil, voltado para estudantes do último ano de engenharia. Os estagiários aplicarão conhecimentos por meio de projetos em um ambiente global e multicultural, com orientação de profissionais experientes. A iniciativa está alinhada com a estratégia global da empresa de contribuir para a excelência em engenharia nos países onde atua. As bolsas serão de R$ 2.700,00 e os estagiários ainda terão benefícios como convênio médico.

Inauguração do Centro de Tecnologia da Boeing em São José dos Campos. Foto: Boeing

“Queremos oferecer o melhor programa de estágio do Brasil para estudantes que desejem construir uma carreira sólida e de destaque na indústria aeroespacial. O Brasil tem um rico histórico na aviação, contando com universidades que são referência no setor de engenharia”, disse Humberto Pereira, diretor do Centro de Engenharia e Tecnologia.

O espaço, que ocupa oito andares de um edifício em São José dos Campos, vai receber parte dos 500 engenheiros da companhia que já atuam em várias áreas dando suporte para diversos tipos de aeronaves, atuais e futuras. Outros investimentos serão realizados, com destaque para a área de combustíveis sustentáveis.

“A parceria de longa data da Boeing com o Brasil remonta a mais de 90 anos e, durante esse período, colaboramos com a indústria aeroespacial e a comunidade brasileira para aproveitar as incríveis habilidades técnicas e capacidades de resolução de problemas dos engenheiros brasileiros”, disse Lynne Hopper, vice-presidente de Engenharia, Estratégia e Operações da Boeing. “Sua expertise fortalece nosso compromisso com a excelência em engenharia e nos posiciona para enfrentar os desafios da próxima geração em nossa indústria.”

Evento de inauguração teve presença de autoridades do governo do estado de São Paulo e de executivos da Boeing. Foto: Luis Alberto Neves

Juntamente com a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), a Boeing anunciou um financiamento de projeto de sustentabilidade que amplia a parceria para desenvolver a terceira fase do banco de dados SAFMaps que permite entender a viabilidade dos insumos mais promissores para produção de combustíveis sustentáveis de aviação (SAF, na sigla em inglês) em áreas específicas no Brasil.

“Apoiado pela Boeing, o desenvolvimento do SAFMaps como uma inovadora plataforma web da Unicamp está focado em ajudar a acelerar a produção de SAF no Brasil. O projeto, liderado pela universidade, inclui atualmente 13 estados brasileiros com maior potencial de produção de biomassa. Integra também informações essenciais sobre potenciais matérias-primas, alinhando-se assim às regulamentações internacionais que visam reduzir as emissões de gases de efeito estufa com o objetivo de alcançar uma aviação ainda mais sustentável”, disse Arnaldo Walter, professor de Engenharia Mecânica e líder do projeto.

NOVA EDIÇÃO DA ASAS! PRÉ-VENDA!

USE O CUPOM: FRETE GRÁTIS

Carrinho