ARTE, CULTURA & LAZER

Brasil se despede de Walter Bartels

Foto: IPEV

Um engenheiro dedicado, um homem cujo talento fez a diferença para o País, um personagem fundamental da história da engenharia aeronáutica brasileira. Por tudo isso, a notícia do falecimento de Walter Bartels, nesta terça-feira, 16 de janeiro, é um lamento para todos que amam a aviação.

Ao longo de 84 anos de vida, Walter Bartels teve uma carreira destacada. Graduado pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), participou do desenvolvimento e do primeiro voo do Bandeirante, em 1968, antes mesmo do surgimento da Embraer.

Graduado pela École du Personnel Navigant d’Essais et de Réception (EPNER), Bartels participou de voos experimentais e de certificação do Bandeirante. À época, era o “Curinga 03”, código até hoje utilizado pelo Instituto de Pesquisas em Ensaio em Voo (IPEV) para os aviadores e engenheiros envolvidos nesta atividade.

Foto: Agência Senado

A entrada de Walter Bartels na empresa onde fez história ocorreu em 1976, já na função de gerente da divisão de engenharia aeronáutica. Nos anos 80, teve uma importância singular, como representante brasileiro na gerência técnica do programa AMX, na Itália. À época, era o mais avançado e importante desenvolvimento tecnológico brasileiro. Ainda na Embraer, Bartels participou de projetos como o Tucano e o Super Tucano.

Após a privatização da empresa, em 1995, assumiu a presidência da Associação das Indústrias Aeroespaciais do Brasil, entidade nacional de classe sem fins lucrativos que congrega e representa as empresas brasileiras do setor aeroespacial, tanto no país, como no exterior. Esteve na liderança da entidade até 2019, sempre defendendo a indústria e os interesses brasileiros dos setores aeronáutico, defesa e espacial.

A despedida final para amigos e familiares está programada para ocorrer hoje na Igreja Presbiteriana localizada no centro de São José dos Campos (SP).

NOVA EDIÇÃO DA ASAS!

USE O CUPOM: FRETE GRÁTIS

Carrinho