AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Brasil se torna primeiro país do mundo a empregar Exocet no Caracal

Foto: Comando da Aeronáutica
image_pdfimage_print

A lista de operadores do Airbus H225M é longa: França, Hungria, Kuwait, Cingapura, Indonésia, México, Tanzânia, Malásia, Tailândia, Cazaquistão e Brasil, que se tornou no mês de junho o primeiro a estar certificado para lançar o míssil Exocet na sua versão mais recente, a AM39B2M2. A arma de origem francesa é conhecida mundialmente pela capacidade de afundar alvos navais e já é utilizada por aeronaves de gerações anteriores.

Os testes com disparos reais aconteceram em uma área selecionada pela Marinha do Brasil a cerca de 240 km do litoral. O resultado é que a partir de agora o 2° Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral poderá adicionar o ataque contra alvos navais no seu leque de missões. Os helicópteros H22M, designados na Marinha como UH-15A Super Cougar, podem operar tanto de bases em solo como a partir do navio-aeródromo Atlântico e do Navio Doca Multipropósito Bahia.

Com alcance que pode chegar a 70 km, o Exocet permite ao helicóptero fazer o ataque sem precisar ficar exposto a grande maioria dos sistemas de defesa antiaérea hoje disponíveis em embarcações militares. Com 670 kg, o míssil só pode ser levado por aeronaves de maior porte, destacando-se também pelo seu tamanho: são 4,69 metros de comprimento e 350mm de diâmetro.

A campanha de certificação foi possível por conta da existência, em solo nacional, de uma organização do porte do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), da Força Aérea Brasileira. A equipe do Instituto de Pesquisas e Ensaios em Voo (IPEV) detém o conhecimento necessário para avaliar todos os aspectos do lançamento do míssil.

Sobre o autor

Redação

Comentários

Clique aqui para comentar

Lançamento! ASAS 118! Garanta já a sua na pré-venda!

O Voo do Impossível

Parceiros