AVIAÇÃO COMERCIAL & PRIVADA AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Brumadinho tem cerca de 300 movimentos aéreos por dia

Militares israelenses operam em conjunto com helicóptero H-36 da FAB Foto: IDF / Agência Brasil
image_pdfimage_print

A missão de busca e salvamento às vítimas do rompimento da barragem da empresa Vale tornou o espaço aéreo do município ocupado. São cerca de 300 voos decolagens e pousos de helicóptero na região diariamente, envolvendo aeronaves do Corpo de Bombeiros e das polícias civil e militar de Minas Gerais, Marinha, Exército, Bombeiros do Rio de Janeiro e da própria Força Aérea Brasileira, além de aeronaves de empresas civis, como as de veículos de imprensa e da Vale. O número de helicópteros na área varia de 14 a 18, de acordo com o momento.

Para evitar qualquer incidente, a Força Aérea providenciou a instalação de uma unidade de Serviço de Informações Aeronáuticas (AFIS), também conhecida como estação-rádio, e um Centro de Comando e Controle para dar suporte e garantir a segurança das aeronaves envolvidas nas ações de busca e salvamento. A estrutura montada na região, sob a coordenação do Primeiro Grupo de Comunicações e Controle (1º GCC), conta com gerador, antena para enlace via satélite, computadores interligados em rede e sistemas de comunicação VHF, UHF e HF.

Todo o suporte na comunicação entre as aeronaves é dado por 25 militares. A equipe de coordenação conta com o auxílio de um operador de estações aeronáuticas e um controlador de tráfego aéreo do Primeiro Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA I), responsável pela navegação na área do local das buscas.

Tanto a FAB quanto a Marinha estão no local, cada uma, com um helicóptero H-36 Caracal (chamado na Marinha de UH-15 Super Cougar). Com porte maior que as utilizadas pelas forças estaduais, essas aeronaves podem levar até vinte militares até as áreas de busca de uma só vez.

Lançamento! ASAS 118! Garanta já a sua na pré-venda!

O Voo do Impossível

Parceiros