AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Canadá recebe caças dos anos 80

Ainda com marcas australianas, caças F-18A já foram recebidos por militares canadenses
image_pdfimage_print

Depois de desistir, pelo menos temporariamente, dos F-35 Lightning II, o Canadá tem como principal novidade da sua força aérea a chegada dos primeiros F-18A, comprados usados da Força Aérea da Austrália. As aeronaves chegaram à Base Aérea de Cold Lake no domingo.

A situação da Royal Canadian Air Force (RCAF) não tem sido fácil. Sua última aquisição de caças novos foi no início dos anos 80: 98 F-18A e 40 F-18B, as primeiras versões do Hornet. O problema é o desgaste da frota. Hoje, há menos de 60 F-18A e 25 F-18B em serviço.

Os aviões participaram de conflitos no Iraque, Iugoslávia e Afeganistão, e têm que manter os compromissos canadenses no contexto do North American Aerospace Defense Command (NORAD), o comando conjunto entre o Canadá e os Estados Unidos para a defesa da América do Norte. Para isso operam a partir de bases em Quebec e Alberta.

A compra de 25 caças usados pela Austrália vai ajudar a manter o mínimo da disponibilidade necessária. Dos 25 aviões, 18 serão postos em serviço e o restante será fonte de peças de reposição. Os dois primeiros, prontos para o serviço, foram entregues logo após a participação no exercício Red Flag, nos Estados Unidos.

Recebidos pela Austrália a partir dos anos 80, os F-18A comprados pelo Canadá são bastante semelhantes aos já operados. A diferença é que a Austrália já fez compras de F-18E/F Super Hornet e F-35 Lightning II, tendo a previsão de aposentar toda a sua de F-18A/B até 2021. Já o Canadá ainda não tem qualquer definição sobre o futuro da sua aviação de caça.

Garanta já a sua Edição 114 de ASAS!

Promoção Fim de Ano!

Novidade! Assine ASAS também na Versão Digital!

Parceiros