AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

China duplicou a capacidade operacional do porta-aviões Liaoning, diz Japão

O CV-16 Liaoning foi o primeiro porta-aviões chinês a entrar em serviço, em 2012

As forças de defesa do Japão anunciaram que a marinha da China teria duplicado a capacidade do porta-aviões Liaoning de lançar aeronaves. Durante uma missão realizada em dezembro pelo navio chinês, as forças japonesas teriam monitorado uma média de 32,5 decolagens por dia, entre aviões e helicópteros. Em maio, a atividade operacional ficou em 15 missões diárias.

Cada saída ao mar dos porta-aviões da China tem sido acompanhada pelos serviços de inteligência do Japão.O Liaonining tinha em sua ala aérea caças J-15, quase sempre equipados com mísseis ar-ar. O número de missões aéreas realizadas em um único dia é reflexo de capacidades como manutenção, reabastecimento, manejo de aeronaves do hangar para o convés, organização das decolagens e pousos, comando e controle, disponibilidade de tripulantes e navegação adequada para as operações aéreas.

O Lianoing, ao mesmo tempo, também tem sido utilizado para treinos de intensidade, com o lançamento de 20 caças J-15 em 90 minutos, depois seguido de período de calma. Em setembro, o Lianoing foi ao mar com a maior ala aérea já registrada: 24 jatos J-15 e três helicópteros. Páginas de defesa ligadas à China estimam que este porta-aviões poderia lançar uma primeira onda de dez caças J-15, seguida por uma segunda onda do mesmo número. Com 20 aeronaves ataque, poderiam ser até 80 mísseis anti-navio YJ-83 em direção aos alvos navais, o suficiente para tentar furar a rede de defesa antimísseis disponíveis nas forças-tarefa dos EUA, por exemplo. Os quatro J-15 restantes cuidariam da cobertura aérea ou atuariam como reabastecedores em voo.

Baseados no Su-33, versão navalizada do Su-27 Flanker, o J-15 Fei Sha (Flying Shark) tem uma série de adaptações criadas pelos chineses. A frota já estaria equipada com radar AESA, novos motores e mísseis PL-10 e PL-15. O modelo está em serviço nos dois porta-aviões do país: o Liaoning e Shandong. O terceiro porta-aviões chinês, o Fujian, atualmente em fase de testes, deve levar a versão J-15 T, adaptado para utilizar as catapultas da nova embarcação, o que deve garantir uma carga útil maior a cada decolagem. Pelo menos mais um porta-aviões já estaria em construção.

NOVA EDIÇÃO DA ASAS!

USE O CUPOM: FRETE GRÁTIS

Carrinho