AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

China pode estar desenvolvendo caça de sexta geração

image_pdfimage_print

Após colocar seus caças de quinta geração J-20 Mighhy Dragon em serviço há dois anos, e avançar no desenvolvimento do jato naval Shenyang J-31 e do bombardeiro H-20, ambos stealth, a China pode estar desenvolvendo um caça de nova geração, com um novo conceito operacional.

A suspeita ficou por conta de um artigo publicado na Acta Aeronautica et Astronautica Sinica, revista científica chinesa especializada em tecnologia aeroespacial. O texto aponta que as aeronaves de combate no futuro devem se focar na capacidade de coletar informações e lançar mísseis modernos, o que vai tornar a manobrabilidade algo superado.

A demonstração do caça stealth J-20 com mísseis PL-15 preocupou o Pentágono

O texto é assinado por Yang Wei, vice-presidente da Aviation Industry Corporation of China (AVIC), conglomerado chinês responsável pelo desenvolvimento e industrização do J-20, do J-31 e do H-20, além de outros projetos, como o J-10, JF-17 e L-15. A relevância do artigo de Wei, que esteve à frente do desenvolvimento do J-20, resultou em uma reportagem dos sites Forbes, Global Times e National Interest.

Analistas ocidentais apontam que o J-20 já não é um caça bom no combate aéreo próximo. Ele seria otimizado para penetrar no território inimigo para atacar alvos estratégicos ou, no cenário ar-ar, passar pela detecção de radares para destruir alvos de grande valor, como bombardeiros ou aviões-radar do tipo AWACS.

De acordo com o site Global Times, um futuro caça deve ser focado nesse tipo de missão, sendo caracterizado pelo longo alcance, poder de fogo e uma eletrônica avançada para coletar muitos dados e permitir decisões rápidas. A inteligência artifical deve ser detacada para auxiliar o piloto.

Há analistas ocidentais que apontam como 2035, daqui a quinze anos, o prazo para o lançamento do novo caça chinês.

Visite a loja da Editora Rota Cultural e veja nosso acervo de
livros, edições da revista ASAS e produtos ligados à aviação!

Sobre o autor

Redação

Comentário

  • ” as aeronaves de combate no futuro devem se focar na capacidade de coletar informações e lançar mísseis modernos, o que vai tornar a manobrabilidade algo superado”.
    Ao meu ver uma crença bastante equivocada porque o que temos visto é que as tecnologias de contramedidas contra mísseis tem avançado muito rapidamente e seguem paripasso ao avanço dos mísseis, portanto sempre haverá a possibilidade destes serem anulados, diminuindo a possibilidade de abates BVR e levando os adversários à distância de dogfight, onde a manobrabilidade é imprescindível.

Clique aqui para comentar

Garanta já a sua Edição 114 de ASAS!

Promoção Fim de Ano!

Novidade! Assine ASAS também na Versão Digital!

Parceiros