AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

China supera Rússia em número de aviões de combate, EUA lideram

A China superou a Rússia e agora tem a segunda maior frota de aviões de combate do mundo, com 1.571 unidades. Os Russos estão com 1.511, no terceiro lugar. A liderança continua com os Estados Unidos, com 2.740 aeronaves no serviço ativo, o que representa 19% da frota mundial.

Os dados estão na edição de 2022 do documento World Air Forces, editada pela revista Flight Global, com patrocínio da Embraer. O levantamento aponta o número de aeronaves oficialmente no inventário, não levando em consideração a real disponibilidade. O Brasil, por exemplo, aparece com 679 unidades das três Forças Armadas, mas o número consider 112 T-27 Tucano e 12 C/KC-130. Jatos usados para treinamento também não são computados como “aeronaves de combate”.

No caso chinês, são 120 bombardeiros H-6, 103 jatos de ataque JH-7, 418 caças leves J-7, 143 interceptadores J-8, 260 caças J-10, 399 Flankers (entre J-11, J-16, Su-27, Su-30 e Su-35), 19 caças stealth J-20, 118 dos já ultrapassados Q-5 e 14 novos treinadores L-15. Apesar de a publicação informar futuras aquisições, não há essa informação para os J-20. O somatório aqui inclui as aeronaves classificadas como treinadores.

A Rússia aparece com 262 MiG-29/35, 131 MiG-31, 295 Su-24, 196 Su-25, 431 Flankers (Su-27, Su-30 e Su-35), 125 Su-34, um Su-57, 66 Tu-22M, 42 Tu-95, 15 Tu-160, 181 L-39 e 112 Yak-130. Há a previsão de pelo menos mais 10 Tu-160, 31 MiG-35, 20 Su-34 e 75 Su-57.

Já os EUA têm 284 A-10C, 28 AC-130, 43 B-1B, 18 B-2, 72 B-52, 454 F-15C/D/E/EX, 844 F-16C/D, 178 F-22, 4 F-117, 405 F-35A/B/C, 99 AV-8B+ e TAV-8B, 253 F-18A/B/C/D, 566 F-18E/F, 153 EA-18G e 43 F-5F/N.