AVIAÇÃO COMERCIAL & PRIVADA

Colisão de Airbus A350 com Dash 8 coloca em xeque segurança aeronáutica no Japão

A350 da Japan Airlines. Foto: Simply Aviation

A impressionante imagem de um Airbus A350 tomado pelas chamas e o fato das 379 pessoas a bordo, incluindo oito crianças, terem evacuado sem vítimas graves significam um sucesso de engenharia e de treinamento para tornar a aviação mais segura. Porém, o fato de um jato moderno ter colidido com um turboélice Bombardier Dash 8 em um dos principais aeroportos do mundo causa preocupações sobre a segurança de voo. O acidente matou cinco dos seis ocupantes do Dash 8.

Entre os principais questionamentos já levantados sobre o acidente estão a falta de alerta do controle de tráfego aéreo, a inoperância dos equipamentos automáticos anticolisão e mesmo a falta de visualização das aeronaves, mesmo com luzes ativas. Apesar de ter sido à noite, as condições climáticas eram favoráveis no momento, havendo visibilidade de até 10 km.

Bombardier DHC8-300 semelhante ao envolvido no acidente. Foto: Kentaro Iemoto

A Japan Transporte Safety Board, autoridade de investigação japonesa, deverá trabalhar sobre o acidente com o apoio da Airbus, Bombardier e da guarda costeira do país, operadora do Dash 8 acidentado. O Bureau d’Enquêtes et d’Analyses, da França, também deve auxiliar.

Com matrícula JA13XJ, o A350-900 tinha apenas dois anos de voo e se torna, assim, o primeiro do seu tipo a ser perdido em um acidente. Já o Dash 8 com matrícula JA722A havia sido recebido pela Guarda Costeira do Japão em 18 de fevereiro de 2009, como parte de uma frota de sete unidades.

NOVA EDIÇÃO DA ASAS!

USE O CUPOM: FRETE GRÁTIS

Carrinho