AVIAÇÃO COMERCIAL & PRIVADA

Depois de 14 meses, Boeing tem boas notícias

737 Max Foto: Konstantin von Wedelstaedt
image_pdfimage_print

A crise do 737 Max e a pandemia de Covid-19 colocaram a Boeing em uma situação crítica. Porém, o pior parece já ter passado. Pela primeira vez em 14 meses, a empresa norte-americana registrou em um mês mais pedidos que cancelamentos.

Foi em fevereiro. A Boeing amargou 51 cancelamentos de encomendas, porém conquistou 82 novos pedidos. E o 737 Max foi a tábua de salvação: foram nada menos que 39 unidades solicitadas, sendo 25 para a United. Dos 51 cancelamentos, porém, 32 ainda foram de 737 Max, que mesmo assim acabou registrando um saldo positivo, algo inédito desde que o modelo foi afastado dos voos.

A Boeing também comemorou ter recuperado 16 pedidos que haviam sido cancelados. Ao todo, fevereiro garantiu um saldo positivo de 47 aeronaves no portfólio. Parte significativa do sucesso também se deve ao governo dos Estados Unidos, que assinou a contratação para entrega de mais 27 reabastecedores militares KC-46A, baseados no 767.

Visite a loja da Editora Rota Cultural e veja nosso acervo de
livros, edições da revista ASAS e produtos ligados à aviação!

Lançamento! ASAS 118! Garanta já a sua na pré-venda!

O Voo do Impossível

Parceiros