AVIAÇÃO COMERCIAL & PRIVADA

Embraer vê mercado de 11.000 aviões de até 150 assentos nos próximos 20 anos

Foto: Valentin Hintikka

A Embraer identifica um potencial de mercado de 11 mil aeronaves de até 150 assentos para os próximos 20 anos anos, sendo 8.790 jatos e 2.210 turboélices. Os dados foram apresentados durante coletiva de imprensa realizada hoje no Paris Air Show e compõem o documento Market Outlook. Esses mercados deverão ser disputados entre a Embraer e seus concorrentes atuais e futuros.

Na visão da empresa brasileira, o tráfego mundial de passageiros, medido em receita de passageiro/quilômetro (RPK, na sigla em inglês), retornará aos níveis de 2019 até 2024, como resultado de uma recuperação prolongada da pandemia, da geopolítica e de mudanças na dinâmica do setor. Os RPKs globais crescerão 3,2% ao ano até 2042.

Todo esse marcado representará um valor estimado em 650 bilhões de dólares, sendo que 42% serão referentes apenas a companhias da área da Ásia/Pacífico. Isso representará, inclusive, ultrapassar o somatório da Europa com a América do Norte, que ficarão em 38%.

Curiosamente, essa liderança será garantida por conta de uma maior demanda de turboélices (910 para Ásia/Pacífico contra 410 de Europa/América do Norte), uma vez que os países do Leste ainda ficarão atrás em pedidos de jatos (2.270 para Ásia/Pacífico contra 2.690 de Europa/América do Norte).

Para a América Latina, a expectativa é de 780 novos jatos e 180 turboélices. A África deverá encomendar mais 320 e 210, respectivamente. Já o Oriente Médio deverá registrar, conforme a visão da Embraer, 340 encomendas de jatos e 50 de turboélices.

USE O CUPOM: FRETE GRÁTIS

NOVA EDIÇÃO DA ASAS!

Carrinho