AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

EUA, França e Reino Unido treinam integração de caças de 4º e 5º gerações

Caças franceses Rafale e norte-americanos F-35A Foto: Alexander Cook / USAF
image_pdfimage_print

A chegada de caças de 5º geração vai acabar com a vida operacional dos de 4º geração?! A resposta é “não”. É isso o que a United States Air Force, a Armée de l’air e a Royal Air Force têm exercitado desde o dia 17 até o próximo 28 de maio.

Caças F-35A (EUA), Rafale (França), F-35B (Reino Unido) e Typhoon (Reino Unido) atuam juntos no exercício batizado de Atlantic Trident 21. Realizado na região sudoeste da França, o treinamento é comparado com a Red Flag e tem servido para avaliar um novo patamar de utilização de caças de combate.

Foto: Alexander Cook / USAF

“As aeronaves de 5ª geração devem trabalhar em conjunto com caças de 4ª geração, bem como com as forças terrestres e navais conjuntas. Furtividade não é igual a invisibilidade, nem há aeronaves de 5ª geração suficientes para executar campanhas aéreas sozinhas. Em vez disso, as aeronaves de 5ª geração devem atuar como um multiplicador de força”, disse o Tenente-Coornel Joshua Arki, comandante do 4th Fighter Squadron, da USAF, em comunicado emitido pela OTAN.

Foto: Anthony Jeuland / Armée de l’air e de l’espace

Nesta segunda semana de exercício também participam os F-35B do esquadrão 617 da Royal Air Force, que está com aeronaves baseadas no novo porta-aviões britânico, o HMS Queen Elizabeth, em seu primeiro cruzeiro operacional. Em um treinamento também de de mobilidade, os Typhoon não se deslocaram para a França: em todas as missões fazem seus voos a partir da base de Corningsby, com apoio de reabastecedores Voyager (A330 MRTT).

Lançamento! ASAS 119! Garanta já a sua na pré-venda!

O Voo do Impossível

Parceiros