AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Eurofighter Typhoon garante vitória sobre o F-35 em contrato espanhol

Eurofighter Typhoon durante exercício nas ilhas Canárias. Foto: Ejército del Aire

O governo da Espanha assinou o contrato para a aquisição de 20 caças Eurofighter Typhoon para ampliar a frota do país para 90 unidades e permitir a substituição dos caças F-18 Hornet em serviço com a Ala 46, da Base Aérea de Gando, nas ilhas Canárias. A localização, a oeste do Marrocos, é estratégica tanto para as ações na África quanto no Atlântico.

A assinatura do contrato já havia sido aprovada pelo Conselho de Ministros da Espanha em dezembro e representa uma derrota para a norte-americana Lockheed Martin, que conseguiu vender seus caças F-35 para Itália, Alemanha e Reino Unido, os três outros parceiros do programa europeu. A última expectativa resta para a marinha da Espanha, que precisará de novos jatos para substituir os seus AV-8 Harrier, e o F-35B se apresenta como opção mais viável.

A Airbus tem ressaltado que as aeronaves serão montadas, testadas e entregue na sua fábrica localizada em Getafe, na própria Espanha, com criação de mais de 20 mil empregos, que se somam aos mais de 100 mil já gerados para a produção de 681 caças Eurofighter Typhoon até o momento, hoje em serviço com nove países. Só esse novo contrato está avaliado em 2 bilhões de Euros.

As aeronaves serão entregues a partir de 2026 e contarão com os mais recentes desenvolvimentos do consórcio Eurofighter, incluindo o radar E-Scan e o pod Litening III. Serão 16 modelos monopostos, para um ocupante, e quatro bipostos, para dois. Serão os caças mais avançados do Ejército del Aire, superando os Eurofighter dos lotes iniciais recebidos em 2003 e hoje em serviço nas Alas 11 e 14, das bases aéreas de Morón e Albacete, ambas na península Ibérica.

LEIA TAMBÉM:

Espanha já vai modernizar seus Eurofighter

Modernização do Eurofighter pode alavancar mercado

Com F-18 encomendado, Alemanha compra mais Eurofighter