AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

F-35 com baixa operacionalidade na Coreia do Sul 

Apesar do sucesso comercial, o F-35 é um caça com um histórico de problemas. E mais um capítulo negativo para o caça da Lockheed Martin se tornou público. Dessa vez, na Coreia do Sul. 

O deputado Shin Won-sik, que apoia o governo, declarou que ao longo dos últimos 18 meses a frota foi paralisada 172 vezes. Em outros 62 casos foram mantidos os voos, mas de maneira limitada. 

No ano passado, os F-35 teriam estado em plenas condições operacionais por somente 12 dias no ano passado e onze dias em 2022. Em janeiro, foi completado o recebimento das 40 unidades adquiridas. 

Ainda de acordo com o parlamentar, esses números são elevados quando comparados com a frota antiga: os F-4 e F-5 teriam tido suas operações suspensas 26 e 28 vezes, respectivamente, nesse mesmo período de 18 meses. O político cobrou que as forças armadas da Coreia do Sul sejam capazes de adquirir aeronaves modernas, mas também de mantê-las em serviço. 

A força aérea da Coreia do Sul declarou que tem alcançado a meta de atingir uma disponibilidade de 75% da frota. O dado chama a atenção: de acordo com o próprio Pentágono, em 2021 a disponibilidade dos F-35 A ficou em 62,2% na United States Air Force. Os F-35 B atingiram 58,5% e e os F-35 C ficaram com 53,2% de disponibilidade. 

A Coreia do Sul já anunciou a compra de mais 20 F-35.

NOVA EDIÇÃO DA ASAS!

USE O CUPOM: FRETE GRÁTIS

Carrinho