AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

FAB terá cockpits digitais desde o treinamento

image_pdfimage_print

Após adquirir novas aeronaves (como F-39 Gripen, KC-390 e H-36) e modernizar outras (A-1, F-5 e C-95, dentre outras), a Força Aérea Brasileira decidiu renovar também sua frota de treinamento. A partir do próximo ano, os cadetes da Academia da Força Aérea já poderão voar em aeronaves T-27M Tucano, versão modernizada que engloba um novo painel e capacidade de se adaptar às novas regras de tráfego aéreo, como os procedimentos RNAV e RNP (tradução do inglês, Navegação de Área e Performance de Navegação Requerida).

Ao todo, 42 aeronaves T-27, em uso desde o início dos anos 80, devem ser modificadas para o padrão T-27M. A modernização é realizada pela empresa Albatross, em parceria com a FAB, no Parque de Material Aeronáutico de Lagoa Santa (PAMA-LS).

Além de ampliar as possibilidades de treinamento e acostumar os jovens aviadores um tipo de pilotagem que encontrarão nas aeronaves de primeira linha, a modernização também deve resultar em um aumento de disponibilidade dos aviões T-27. A explicação é que componentes antigos, por vezes de difícil reposição, não será mais usados.

O T-27 Tucano foi empregado na Força Aérea Brasileira pela Academia da Força Aérea, na Esquadrilha da Fumaça e em esquadrões operacionais e de treinamento avançado, como Rumba, Escorpião, Grifo e a antiga Esquadrilha de Ligação e Observação, além de também ter composto a dotação de unidades de caça. Agora, as 42 unidades restantes devem ficar concentradas na Academia da Força Aérea, no último ato dessas aeronaves com as cores da FAB.

Visite a loja da Editora Rota Cultural e veja nosso acervo de
livros, edições da revista ASAS e produtos ligados à aviação!

Novidade! Assine ASAS também na Versão Digital!

Parceiros