AVIAÇÃO COMERCIAL & PRIVADA AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA

Gigantes se unem para criar drones-helicópteros

Por um lado, o conglomerado europeu Leonardo, que possui na sua linha de produtos helicópteros como os Lynx, AW119, AW109, EH101 Merlin, A129 Mangusta e NH90, dentre outros. Do outro, a norte-americana Northrop-Grumman, com um histórico de ter desenvolvido caças como F-14 e o F-5, e hoje à frente de projetos como os drones RQ-4 Global Hawk e MQ-8C Fire Scout.

Toda esse experiência irá se juntar para desenvolver novas aeronaves não tripuladas com características VTOL (Vertical Take-Off and Landing). As empresas anunciaram em setembro um acordo com para soluções conjuntas.

A Northrop-Grumman e a Leonardo vão considerar colaborações em design de veículos aéreos, arquitetura de sistemas, otimização da carga útil e integração nas arquiteturas de campo de batalha de última geração. O anúncio fala em “oportunidades globais”, o que sugere tanto o mercado militar quanto civil.

O acordo é o passo mais recente de uma longa e bem-sucedida parceria entre a Northrop Grumman e a Leonardo, que já operam conjuntamente na proteção de plataformas aérea desde 1995, quando a equipe desenvolveu em conjunto o NA/AAQ-24(v) Nemesis DIRCM para o Departamento de Defesa dos Estados Unidos e para o Ministério da Defesa do Reino Unido. Atualmente, as empresas trabalham para entregar o programa Common Infrared Countermeasures (CIRCM) do Exército dos EUA, que irá proteger centenas de aeronaves.

Não será a primeira experiência das duas empresas com sistemas não tripulados do tipo VTOL. A Northrop Grumman Australia e a Leonardo Australia já se uniram para fornecer à Marinha Real australiana a Maritime Uncrewed Aerial System (MUAS), sob o programa SEA 129 Phase 5, utilizando o AWHero da Leonardo e elementos do avançado sistema de arquitetura de campo de batalha da Northrop Grumman como base da nova geração de capacidade de inteligência implantável, vigilância, reconhecimento e seleção de alvos (ISR&T).