AVIAÇÃO COMERCIAL & PRIVADA

Governo quer aprovar combustível JET-A para baratear aviação

Foto: Fábio Raphael

Com os prejuízos em alta e o preço do combustível elevado, o setor aéreo brasileiro aguarda agora a liberação do querosene de aviação JET-A como uma alternativa para reduzir os custos. Nesta quinta-feira (28 de janeiro), a diretoria da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) aprovou a realização de consulta e audiência públicas, um dos primeiros passos para que o JET-A possa vir a ser utilizado no Brasil.

O pedido para liberação do JET-A foi feito há quase um ano pela Associação Brasileira de Aviação Geral (ABAG) e pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR), durante reunião com a ANP em 5 de março. O principal ponto de interesse é que a fabricação do Jet A é mais barata do que a do Jet A1, atualmente encontrado nos aeroportos brasileiros. Estudo realizado pela ANP estima que é possível uma redução de até 0,6 % do preço atual.

A única diferença entre o JET-A1 e o JET-A é o ponto de congelamento: o JET-A1 possui limite máximo especificado em -47 °C, enquanto o JET-A possui limite em -40 °C. A viabilidade técnica para a alteração regulatória foi avaliada em estudo conduzido pela ANP, com participação de outros órgãos públicos, empresas e associações do setor, além da ASTM International, que desenvolve as especificações internacionais de combustíveis de aviação. O estudo teve ênfase na segurança operacional, infraestrutura logística e aspectos econômicos.