AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA DOS ARQUIVOS DE ASAS

Há 30 anos, piloto fugiu com caça F-15C Eagle

Caça F-15 da Arábia Saudita em 1991 Foto: Hans H. Deffner / USAF
image_pdfimage_print

Há quase 30 anos, em 11 de novembro de 1990, a coalizão liderada pelos Estados Unidos no Oriente Médio enfrentou uma situação delicada durante os preparativos para a invasão do Iraque. Um caça F-15C Eagle da Força Aérea da Arábia Saudita decolou naquele dia do próprio país e tomou uma rota completamente diferente da esperada: a bordo estava um piloto insatisfeito com as decisões do Rei e com a iminência de entrar em guerra contra outro país muçulmano. O pilotou acabou fugindo para o Sudão.

O caso jogou uma dose de nervosismo na operação de defesa realizada até aquele momento, batizada de Desert Shield. As forças dos Estados Unidos, da Arábia Saudita e dos demais aliados que chegavam eram alertadas sobre a possibilidade de aparecer nos radares um caça F-15 fora do planejamento, possivelmente com intenções hostis. Também havia o temor de que informações reservadas fossem obtidas pela União Soviética ou mesmo pelo Iraque, que se preparava para a guerra iminente.

As poucas fontes que relatam a história, porém, contam que o caso se resolveu rápido, em poucos dias ou mesmo em horas – como informou à época o jornal Washington Post. O reino da Arábia Saudita teria pago cerca de 50 milhões de dólares ao governo sudanês para a aeronave ser entregue, o que efetivamente aconteceu. O piloto, porém, decidiu pedir asilo político.

Caças F-15E Strike Eagle estacionados na Arábia Saudita durante a operação Desert Shield, em 1990

A ocorrência parece não ter afetado em nada a letalidade do F-15 durante a guerra nos meses seguinte, na chamada Operação Desert Storm. Das 39 aeronaves iraquianas abatidas em combates ar-ar, 36 tiveram a assinatura do caça fabricado nos Estados Unidos: cinco MiG-29, dois MiG-25, oito MiG-23, dois MiG-21, dois Sukhoi Su-25, quatro Sukhoi Su-22, um Sukhoi Su-7, seis Dassault Mirage F1, um Ilyushin Il-76, um Pilatus PC-9 e dois helicópteros Mil Mi-8. Dois Mirage F1, inclusive, foram destruídos por um F-15C da Arábia Saudita, pilotado por Iyad Al-Shamrani.

A Arábia Saudita opera caças F-15C/D desde 1981. Hoje mais de 60 deles estariam em voo, além de cerca de 130 F-15SA, versão aprimorada do F-15E Strike Eagle.

Visite a loja da Editora Rota Cultural e veja nosso acervo de
livros, edições da revista ASAS e produtos ligados à aviação!

Garanta já a sua Edição 114 de ASAS!

Promoção Fim de Ano!

Novidade! Assine ASAS também na Versão Digital!

Parceiros