AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA DOS ARQUIVOS DE ASAS

Há 70 anos, dois F-86 encararam 12 MiG-15

Rivais no passado, o F-86 e o MiG-15 atualmente voam juntos em shows aéreos Foto: Tim Felce

Há exatos 70 anos, no dia 10 de fevereiro de 1952, uma esquadrilha de quatro caças F-86E Sabre faziam uma patrulha próximo ao rio Yalu, na área onde hoje está a fronteira da Coreia do Norte com a China. Quando um dos jatos apresentou problemas de suprimento de oxigênio, o Major George Andrew Davis Jr. ordenou que retornasse imediatamente à base com seu wingman. Ele continuaria a patrulha apenas com seu próprio ala, o Segundo-Tenente William Littlefield. Voando a cerca de 12 mil metros do nível do mar, os dois avistaram 12 jatos MiG-15 e o Major tomou uma decisão arriscada: atacar a formação inimiga.

A confiança do Major Davis era explicável. Na Segunda Guerra, entre dezembro de 1943 e novembro de 1944, ele abateu sete aeronaves japonesas, incluindo três caças A6M Zero. À época, voava um P-47 Thunderbolt – modelo semelhante ao utilizado pela Força Aérea Brasileira nos combates na Itália. Na Coreia, a bordo de jatos F-86 Sabre, o militar norte-americano já havia registrado vitórias contra nove MiG-15 e três bimotores Tupolev Tu-2.

Com essa ficha de combate, o Major sabia que ele naquele 10 de fevereiro de 1952 ele poderia garantir o sucesso da missão – ou mesmo a sobrevivência – de um grupo de jatos norte-americanos F-84 Thunderjets que realizavam uma missão de ataque ao solo na área. Os MiG-15 voavam a aproximadamente 9.600 metros do solo, também em busca dos seus alvos, e não notaram a presença do par de F-86 mais acima.

O ataque foi de surpresa. O piloto da United States Air Force abateu dois MiG-15 já no primeiro mergulho. Em seguida, manobrou e se aproximava do terceiro, quando o seu F-86E foi atingido e começou a girar sem controle. O Tenente Littlefield conseguiu escapar e levar para a base o relato do caça do Major Davis girando rapidamente com o trem de pouso baixado, o que indicaria uma falha hidráulica. Não foi avistado nenhum paraquedas. Há informações de que tropas chinesas teriam recuperado o corpo – que nunca retornou aos Estados Unidos.

George Andrew Davis Jr. se tornaria postumamente o único piloto de F-86 a receber a Medal of Honor. Participante dois conflitos (Guerra da Coreia e Segunda Guerra), ele recebeu o total de 21 vitórias aéreas confirmadas e uma provável, além de duas aeronaves inimigas danificadas. Em quatro ocasiões, ele realizou o raro feito de abater mais de um alvo em uma única missão. Em 30 de novembro de 1951, quando destruiu três Tupolev Tu-2 e um MiG-15, Davis se tornou o piloto com maior número de vitórias aéreas em um único dia naquele conflito. Foi também um dos únicos sete pilotos norte-americanos a terem conseguido ser um ás tanto em aviões a pistão (P-47) quanto jatos (F-86).

NOVA EDIÇÃO DA ASAS!

USE O CUPOM: FRETE GRÁTIS

Carrinho