AVIAÇÃO MILITAR & DEFESA DOS ARQUIVOS DE ASAS

Há 75 anos, jato operava pela primeira vez em um porta-aviões

Vampire se aproxima para pouso no HMS Ocean Foto: Royal Navy
image_pdfimage_print

As icônicas cenas de jatos a bordo de porta-aviões começaram há exatos 75 anos, em 3 de dezembro de 1945. Naquele dia, o Lieutenant-Commander Eric Melrose Brown pousou a bordo do porta-aviões HMS Ocean com seu jato Havilland DH.100 Sea Vampire Mk10. Até ali, somente aeronaves a hélice faziam esse tipo de operação.

Com a matrícula LZ5551, o DH.100 era o segundo protótipo do tipo. O primeiro havia voado em 17 de março de 1944. Para operar no porta-aviões, o LZ5551 recebeu modificações e foi o primeiro a ser designado “Sea Vampire”.

O piloto pioneiro havia ingressado na Royal Navy em dezembro de 1939, já com experiência prévia de voo. Durante a Segunda Guerra Mundial, comandou aeronaves à hélice Grumman G-36A Marlet Mk1 (versão de exportação do norte-americano F4F-3 Wildcat), se destacando por derrubar aviões inimigos, incluido dois patrulheiros quadrimotores Fock-Wulf Fw 200 Condor. Em 21 de dezembro de 41, porém, o porta-aviões HMS Audacity foi afundado no Atlântico. Brown foi um dos dois únicos sobreviventes.

Eric Melrose Brown diante do G-36A que voou durante a Segunda Guerra Mundial

Já em dezembro de 1943, Eric Melrose Brown se tornou piloto de testes, função que desempenhou até 1949. Operou ainda a bordo dos porta-aviões HMS Indomitable e HMS Vengeance, que se tornaria posteriormente o NAeL Minas Gerais, da Marinha do Brasil.

Caça Vampire e porta-aviões HMS Ocean, da mesma classe do HMS Vengeance

Visite a loja da Editora Rota Cultural e veja nosso acervo de
livros, edições da revista ASAS e produtos ligados à aviação!

Lançamento! ASAS 115

O Voo do Impossível

Parceiros